Bento XVI manifesta tristeza pelos atentados contra cristãos nas Filipinas e Nigéria


 

Lusa / AO online   Internacional   26 de Dez de 2010, 12:16

O papa Bento XVI manifestou hoje “grande tristeza” pelos atentados ocorridos este Natal contra cristãos nas Filipinas e na Nigéria, fazendo várias vítimas, e após lamentar a violência contra os seguidores de Cristo, apelou à paz, contra o ódio.

Perante vários milhares de fiéis reunidos na praça de São Pedro para a oração de Angelus, o papa recordou que em tempo de Natal o mundo continua marcado pela violência.

“Neste momento de Natal, o desejo e a invocação do dom da paz tornam-se mais intensos. Mas o nosso mundo continua marcado pela violência, especialmente contra os discípulos de Cristo”, afirmou o bispo de Roma.

O pontífice acrescentou que foi “com grande tristeza” que tomou conhecimento do atentado contra uma igreja católica nas Filipinas quando se celebrava o ritual católico do Natal, assim como contra as igrejas cristãs na Nigéria.

O papa acrescentou que a terra “também se manchou de sangue” noutras partes do mundo, como o Paquistão.

“Desejo expressar os meus mais sentidos pêsames às vítimas destes atos de violência absurda e repito uma vez mais o chamamento para abandonar o caminho do ódio e encontrar soluções pacíficas para os conflitos, trazendo às populações segurança e serenidade”, afirmou.

Bento XVI expressou a sua solidariedade com as famílias que se veem obrigadas a abandonar as suas casas por causa das guerras, da violência e da intolerância.

O papa exortou os fiéis que a unirem-se a ele nas orações para pedir “com força” a Deus “que toque os corações dos homens e leve a esperança, reconciliação e paz”.

Pelo menos onze pessoas ficaram feridas no sábado devido a uma explosão numa igreja na ilha Filipina de Joló durante uma missa de Natal.

Na cidade de Jos, capital do estado central nigeriano de Plateau, pelo menos 32 pessoas morreram e 74 ficaram feridas com gravidade na sequência da explosão de sete engenhos de fabrico artesanal na noite de Natal em igrejas e bairros frequentados por cristãos.

No Paquistão, pelo menos 43 pessoas morreram e 64 ficaram feridas num atentado suicida contra um posta das forças de segurança no cinturão tribal do Paquistão, fronteira com o Afeganistão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.