Liga Portuguesa

Benfica vence em Coimbra e aproxima-se do líder

Benfica vence em Coimbra e aproxima-se do líder

 

Lusa/AO   Futebol   23 de Nov de 2008, 20:54

O Benfica venceu no reduto da Académica por 2-0, com tentos de Ruben Amorim e Cardozo, e recolocou-se a um ponto do líder Leixões
O Benfica venceu no reduto da Académica por 2-0, com tentos de Ruben Amorim e Cardozo, e recolocou-se a um ponto do líder Leixões, votando também a afastar-se dos outros “grandes”, em encontro da nona jornada.
Frente a uma equipa que não perdia em casa há um ano, quando caiu... face aos “encarnados” (1-3), o Benfica, invicto em Coimbra há 35 anos, sentenciou no início da segunda parte (47 minutos), com um penalti de Cardozo, depois do tento inaugural de Ruben Amorim (31).
A jogaram em “casa”, dada a maioria vermelha entre os cerca de 19.000 espectadores presentes no Cidade de Coimbra, os “encarnados” apresentaram-se com várias surpresas no “onze”, sobretudo David Luiz, como defesa esquerdo, e Binya, enquanto Jorge Ribeiro, Katsouranis, Pablo Aimar e David Suazo ficaram em “descanso”.
O Benfica, com Nuno Gomes e Cardoso mais na frente, começou melhor e pertenceu a Luisão, que lá nas alturas cabeceou por cima, à passagem do minuto 10, a primeira oportunidade de golo.
A “Briosa” ripostou logo a seguir, com o senegalês Sougou a atirar uma “bomba” ao poste de Quim, num ressalto de um livre sobre si próprio. Estas intenções foram efémeras, dado que o golo do Benfica surgiu ao minuto 31, com Ruben Amorim a aproveitar um passe subtil de Nuno Gomes, na grande área, e a não dar hipóteses a Peskovic.
A Académica ainda reagiu e podia ter empatado, não fosse o avançado Lito atirar de forma desastrada, após uma fuga perfeita aos centrais da Luz. O panamiano Garcès ainda deu um ar da sua graça perto do intervalo, mas o remate forte foi à figura de Quim.
A segunda parte não poderia ter começado pior para os da casa, uma vez que, no primeiro minuto, o médio sérvio Pavlovic derrubou na grande área o espanhol Reyes e Pedro Proença não teve dúvidas: assinalou grande penalidade, que Cardozo marcou de forma irrepreensível: guarda-redes para um lado, bola para outro.
À passagem do minuto sessenta, Suazo substitui Cardozo e seria o hondurenho a criar a melhor situação de golo, quase ampliando o resultado para 3-0, não fosse o poste esquerdo emendar a saída sem êxito de Peskovic.
Oito minutos depois, Garcès ainda fez o gosto ao pé, introduzindo a bola na baliza “encarnada”, no entanto, Pedro Proença anulou o lance, por fora de jogo.
Até ao fim, e com excepção de um perigoso cabeceamento de Suazo, não houve grandes lances de perigo, com o Benfica a gerir a vantagem, perante uma Académica já conformada com a derrota.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.