Benfica quer rede de casas uniformizadas "como agências bancárias"


 

Lusa / AO online   Futebol   11 de Out de 2007, 10:17

O clube "encarnado" quer renovar a imagem das cerca de 200 Casas do Benfica espalhadas por Portugal e o Mundo, com imagem uniformizada e renovando a oferta de serviços e produtos, "como se de uma agência bancária se tratasse".
    "Pretende-se que um sócio, quando chega a uma qualquer localidade, identifique clara e facilmente a Casa do Benfica, como se de uma agência bancária se tratasse", disse à Agência Lusa o vice-presidente "encarnado" responsável pela área, Alcino António.

    O responsável benfiquista defende "dependências do clube com fachadas e desenho de interiores iguais porque o Benfica é uma marca fortíssima", uma das matérias a ser discutida entre sexta-feira e sábado, no II Congresso das Casas do Benfica, no Centro de Congressos de Angra do Heroísmo, na açoriana Ilha Terceira, com cerca de 155 participantes e 60 acompanhantes, provenientes de 90 Casas do Benfica.

    Contudo, o novo conceito de Casa do Benfica implica novas regras de funcionamento, nomeadamente no que toca à venda de bilhetes para jogos do clube e às infra-estruturas necessárias para disponibilizar serviços do grupo empresarial do Benfica, como as viagens ou os seguros e os vários produtos de merchandising.

    "A rede de Casas é importantíssima e existem cerca de 50 máquinas de venda de bilhetes espalhadas por elas. O Benfica tem consciência de que o Estádio da Luz está cheio devido à colaboração das Casas. Agora, pretende-se modernizá-las, até no campo da formação de atletas e na rede de olheiros, além do seu aspecto social e cultural", acrescentou Alcino António.

    O presidente da Casa do Benfica da Ilha Terceira, Fausto Costa, tinha afirmado anteriormente à Agência Lusa que a iniciativa do fim-de-semana poderia determinar "o encerramento de muitas destas associações", escusando-se a revelar os motivos.

    "É preciso igualmente que o clube se aproxime das suas casas, aprofunde o diálogo, uniformize a sua imagem, que as reconheça como verdadeiros membros e molas impulsionadoras da unidade dos benfiquistas pelo Mundo", disse Fausto Costa.

    O Congresso abre formalmente na manhã de sexta-feira, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas e termina sábado no auditório do Ramo Grande, na Praia da Vitória, com a presença do presidente "encarnado", Luís Filipe Vieira.

    Durante os trabalhos, será debatido o relacionamento "Clube/Casas do Benfica", a "Uniformização das Casas", a "Formação no Benfica e o envolvimento das Casas", "Contabilidade e Gestão" e as "Formas de Quotização Futura".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.