BE ataca proposta do PSD para eliminar adicional do IMI por "desproteger" Segurança Social

BE ataca proposta do PSD para eliminar adicional do IMI por "desproteger" Segurança Social

 

AO Online/ Lusa   Nacional   6 de Jul de 2019, 21:10

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, considerou hoje “um erro” a proposta avançada pelo líder do PSD para eliminar o adicional ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), frisando que diminuiria a receita da Segurança Social.

“O adicional ao IMI foi um imposto pelo qual o Bloco de Esquerda lutou, foi sobre as grandes fortunas e tem tido um impacte muito positivo na Segurança Social e achamos que é um erro estar a proteger os mais ricos do país e, ao proteger os mais ricos, desproteger a Segurança Social”, disse.

A deputada e coordenadora bloquista falava aos jornalistas em conferência de imprensa no final da reunião da Mesa Nacional do BE, que aprovou hoje as listas de candidatos do partido às eleições legislativas de outubro e o programa eleitoral, que será apresentado domingo, em Lisboa.

Para Catarina Martins, é “preocupante” que o PSD tenha proposto acabar com aquele adicional ao IMI, já que taxa “o património imobiliário de luxo” e a receita contribui para o financiamento da Segurança Social, cuja sustentabilidade não deve ser posta em causa, defendeu.

O presidente do PSD comprometeu-se quinta-feira a reduzir as taxas do IRS nos escalões intermédios, para aliviar a carga fiscal da classe média, e a baixar em quatro pontos percentuais o IRC na próxima legislatura, caso vença as eleições.

Relativamente ao IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis, o presidente do PSD prometeu reduzir a taxa mínima de 0,3% para 0,25% e eliminar o adicional ao IMI, o “imposto Mortágua” por considerar que “não faz sentido nenhum”.

“Na verdade, ficamos sem saber muito bem como é que o PSD vê o todo da economia do país. Quando nós cortamos de um lado há de faltar do outro”, criticou Catarina Martins.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.