Autarquias precisam de ajuda para aperfeiçoar candidaturas ao QREN


 

Lusa/AO   Economia   20 de Nov de 2008, 06:53

O secretário de Estado do Ordenamento do Território reconheceu ontem que as autarquias precisam de um “empurrão” para aperfeiçoar as suas candidaturas ao Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) no sector “Bairros Críticos”, onde apenas foram aprovados cinco projectos a nível nacional.
Em declarações à agência Lusa, João Ferrão explicou que das cinco candidaturas aprovadas a nível nacional no âmbito da Politica de Cidades – Parcerias para a Regeneração Urbana, sector “Bairros Críticos”, três são do Norte do país (Bragança, Maia e Gaia) e duas da região de Lisboa (Amadora e Almada), onde ficaram por atribuir 10 milhões de euros.

    “Nesta linha específica de apoio, as candidaturas são muito complexas. As autarquias já estão habituadas a preparar candidaturas para a área das frentes ribeirinhas mas nos Bairros Críticos não - este sector abrange muitas vertentes como a reabilitação urbana, o espaço público, a componente social e a económica”, afirmou João Ferrão.

    O secretário de Estado disse mesmo que foi pedido a dois consultores que acompanham directamente a iniciativa Bairros Críticos que analisassem as candidaturas que foram aprovadas para se tentar perceber “o que se pode fazer para ajudar a que possam aparecer no futuro mais candidaturas bem sucedidas”.

    Os projectos aprovados para o subsector ‘Bairros Críticos’ na região de Lisboa foram: “Zambujal Melhora”, na Amadora, e “Almada Ponte – Regeneração para uma nova centralidade”.

    No caso do projecto da Amadora tem um global de investimento elegível superior a 2,7 milhões de euros, 1,3 dos quais a financiar por fundos comunitários (FEDER), enquanto o projecto de Almada tem 7,7 milhões de euros elegíveis, dos quais 3,5 milhões relativos a fundos comunitários.

    O projecto do bairro do Zambujal vai permitir recuperar espaços comuns dos prédios, construir uma horta comunitária, limpar as margens da ribeira da Algés e criar uma nova rede de percursos.

    Já o plano apresentado pela Câmara de Almada servirá para construir até 2011 um complexo de piscinas, uma biblioteca, um parque urbano, uma creche e um centro de dia, entre outros equipamentos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.