Autarcas PS indicam Ricardo Rodrigues para presidir Associação de Municípios de S. Miguel

Autarcas PS indicam Ricardo Rodrigues para presidir Associação de Municípios de S. Miguel

 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Nov de 2013, 18:17

O presidente da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, o socialista Ricardo Rodrigues, ficou hoje indigitado para presidir à Associação de Municípios da Ilha de São Miguel (AMISM), nos Açores, cuja eleição decorre na segunda-feira.

O nome de Ricardo Rodrigues reuniu hoje o apoio "unânime" dos quatro presidentes socialistas de câmara da ilha de São Miguel, que estiveram reunidos para "concertar" também "posições" sobre questões que preocupam os municípios em causa.

O presidente da Câmara Municipal da Povoação, Carlos Ávila, disse à Lusa que todos os autarcas socialistas "vão apoiar” Ricardo Rodrigues para presidente da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel e, “por inerência, também presidente da MUSAMI [Operações Municipais do Ambiente]".

As eleições para a Associação de Municípios da Ilha de São Miguel decorrem na segunda-feira, numa reunião no concelho da Lagoa, a partir das 11:00, e segundo o autarca da Povoação, na altura, "vai ser admitido, também, o concelho do Nordeste" na AMISM.

“Vamos admitir o concelho de Nordeste e a partir daí passa a ser uma Associação de Municípios também com caráter político e com caráter reivindicativo a favor da ilha de São Miguel", disse Carlos Ávila.

O PS detém atualmente quatro dos seis municípios da maior ilha açoriana: Lagoa, Vila Franca do Campo, Povoação e Nordeste.

O Nordeste, que Carlos Mendonça conquistou ao PSD nas eleições de 29 de setembro, era o único concelho que não integrava a AMISM.

A associação era presidida pelo socialista Ricardo Silva, que não conseguiu ser reeleito para a câmara da Ribeira Grande nas eleições de 29 de setembro, tendo vencido o PSD. Os sociais-democratas ganharam também em Ponta Delgada.

Carlos Ávila frisou que o encontro serviu também para "concertar posições" tendo em conta algumas preocupações que afetam os municípios, nomeadamente a questão do desemprego ou as falências de empresas, acrescentando que a questão das Parcerias Público Privadas (PPP) municipais, que "envolvem muitos milhões de euros" são outra das preocupações e que no encontro de hoje ficou assente "definir uma estratégia relativamente à resolução do problema, nomeadamente em relação aos bancos financiadores".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.