Açoriano Oriental
Aumento do capital social da SATA é para "pagar dívidas" e "má gestão"

O PSD/Açores defendeu esta quarta-feira que o aumento do capital social da SATA em cerca de 40 milhões de euros, em 2020, não se vai traduzir na “melhoria da competitividade” da economia e “vai pagar dívidas e má gestão”.

article.title

Foto: PSD/A
Autor: Lusa/AO Online

O porta-voz do PSD/Açores para as Finanças, António Vasco Viveiros, assinalou em conferência de imprensa que este aumento de capital “já tinha sido escriturado em 2019”, e vai apenas resolver uma “pequena parte” dos problemas financeiros da transportadora aérea açoriana, cujos resultados negativos em 2029 “deverão ultrapassar os 50 milhões de euros”.

O deputado, na abertura das jornadas parlamentares do partido, que decorrem hoje e quinta-feira em Ponta Delgada, disse que não está surpreendido com a saída de António Teixeira de presidente do conselho de administração da SATA, nem com o facto de ainda não haver sucessor, recordando que o antepenúltimo presidente “esteve de baixa quatro meses até à sua substituição”.

Para António Vasco Viveiros, a “má gestão da SATA também tem a ver com a ausência de administrações por períodos prolongados” e uma “rotação muito significativa dos conselhos de administração”, faltando ainda uma estratégia e “coragem do Governo dos Açores para implementar medidas que são necessárias”.

“Tudo tem sido feito com amadorismo e há uma fatura que está a ser paga pelos açorianos e que será pesada em 2020, a par do mau serviço da SATA e da angústia dos funcionários”, declara o parlamentar.

O presidente do conselho de administração da transportadora aérea SATA, António Teixeira, apresentou em 04 de novembro a sua demissão por motivos de "ordem pessoal" e pelo atraso na "implementação de medidas de reestruturação", anunciou então a empresa.

"Além de razões de ordem pessoal, por entre as principais razões que motivaram a sua decisão, encontram-se o atraso verificado na implementação de medidas de reestruturação, que considerou urgentes e necessárias, bem como a impossibilidade de reduzir, até ao final do ano 2019, os prejuízos do grupo SATA, para metade do valor registado em 2018", declarou a SATA em nota enviada à imprensa.

Segundo a transportadora, "não obstante alguma melhoria dos resultados operacionais alcançados na SATA Azores Airlines no corrente ano, bem como a restruturação operacional efetuada nas transportadoras do Grupo SATA", António Teixeira "considerou não terem sido alcançados os objetivos a que se propôs" quando entrou em funções, em 2018.

A substituição e nomeação de um novo presidente do conselho de administração do Grupo SATA "é da esfera de competências e da responsabilidade do Governo dos Açores", acionista único das empresas do grupo, prossegue a nota da operadora açoriana.

Em 2018, a SATA registou um prejuízo de 53,3 milhões de euros, um agravamento de 12,3 milhões face ao ano de 2017.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.