Solidariedade

AMI faz peditório nos próximos quatro dias


 

Lusa/AOonline   Nacional   22 de Out de 2008, 18:51

A Assistência Médica Internacional (AMI) vai fazer de quinta-feira a domingo o 15.º peditório nacional nas ruas, centros comerciais e principais hipermercados de todo o país, incluindo Açores e Madeira.
O “Peditório Nacional de Rua” da AMI tem como objectivo “recolher fundos para as missões internacionais” e para o “projecto de acção social desenvolvido em Portugal”, esclareceu a organização num comunicado enviado à agência Lusa.

    Pelo sétimo ano consecutivo, o peditório cobrirá “praticamente todo o território nacional”, pretendendo chegar às pessoas para perceber o que cada cidadão sabe sobre a AMI e a Acção Humanitária e, “se possível”, sensibilizá-lo para uma intervenção “mais directa e pessoal numa causa”.

    A AMI alerta a população para o facto de se tratar de um peditório “de rua e não de porta a porta”, sendo que os donativos “apenas deverão ser entregues a voluntários devidamente identificados e credenciados” pela AMI que abordem as pessoas em locais públicos durante os próximos quatro dias.

    De acordo com Paulo Cavaleiro, membro da AMI, há pessoas que aproveitam a “exposição e notoriedade momentânea da campanha para burlarem outras”, apesar de isso não se ter verificado no ano passado.

    “Todos os voluntários estão devidamente identificados e, por isso, apelamos às pessoas para não se deixarem iludir por estes actos de má fé”, disse o membro da AMI em declarações à Lusa.

    Quanto às expectativas para o peditório deste ano, Paulo Cavaleiro afirmou que “a expectativa é melhorar um pouco de ano para ano, mas se obtivermos os mesmos resultados do ano passado ou de há dois anos já é muito bom”.

    Em 2007 a AMI conseguiu angariar 132 mil euros, há dois anos a quantia rondou os 135 mil euros e em 2005 o total foi de 137 mil, verificando-se um decréscimo de aproximadamente dois mil euros a cada ano.

    O melhor ano até agora foi em 2002 quando estenderam o peditório a quase todo o território nacional, tendo conseguido amealhar cerca de 147 mil euros, aproximadamente o dobro de 2001.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.