Alunos de Gestão da Universidade dos Açores retomam aulas


 

Lusa/AO online   Regional   14 de Out de 2013, 18:26

Os alunos de Gestão do 'campus' de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores regressaram hoje às aulas, depois de as terem boicotado durante quase uma semana, por falta de professores para todas as cadeiras.

 

Ana Rocha, do Movimento Alunos de Gestão, que organizou vigílias como forma de protesto pela falta de contratação de professores externos, confirmou que os alunos retomariam hoje às aulas, à saída de uma reunião com o secretário regional da Educação.

"Os contratos estão todos assinados pelos docentes do curso de Gestão", salientou, acrescentando que os alunos ainda vão, no entanto, discutir os calendários efetuados pelos professores.

Por decidir está ainda a forma como será lecionada a cadeira de estatística do primeiro ano, uma vez que, segundo Ana Rocha, a reitoria defende que seja por blocos, mas o Departamento de Economia e Gestão não aceita.

Também Nuno Martins, docente do Departamento de Economia e Gestão, confirmou à Lusa que os professores já assinaram os contratos e que falta apenas reorganizar os horários das aulas.

O ano letivo na Universidade dos Açores arrancou este ano apenas com os docentes internos, por falta de verbas para contratar outros professores, mas alguns cursos, como o de Gestão em Angra do Heroísmo, ficaram com algumas cadeiras paradas.

O reitor da academia açoriana garantiu que o problema estaria resolvido no início de outubro, depois de assegurada uma transferência de 1,2 milhões de euros do Governo da República, que permitiria contratar os docentes em fala, mas passados oito dias do início do mês sem o problema resolvido, os alunos de Gestão decidiram boicotar as aulas e deixar de pagar as propinas.

Segundo Ana Rocha, o Movimento Alunos de Gestão vai agendar uma reunião com o pró-reitor para evitar que os estudantes paguem multas pelos dias de atraso no pagamento das propinas.

No final da audiência com os alunos, o secretário regional da Educação, Ciência e Cultura, Luiz Fagundes Duarte, salientou que a universidade é da tutela do Ministério da Educação, acrescentando que as questões levantadas pelos alunos têm apenas a ver com a "organização da universidade".

"Eu não devo interferir no assunto porque isso tem a ver com a gestão da própria universidade", frisou.

Entretanto, a Associação Académica da Universidade dos Açores está a convocar os estudantes do polo de Ponta Delgada para uma "manifestação silenciosa", na terça-feira, em frente da reitoria, onde decorrerá uma reunião do Conselho Geral.

Segundo a informação divulgada na rede social facebook pela associação académica, o objetivo é mostrar o "descontentamento para com a asfixia que está a ocorrer no ensino da Universidade dos Açores".

"Não admitimos que estejam a resolver um problema de ontem hoje, sendo que amanhã - o segundo semestre - o desequilíbrio orçamental da Universidade dos Açores continuará o mesmo ou, ainda, agravar-se-á", lê-se no texto divulgado pela associação académica, que lamenta a falta de recursos para contratar professores ou comprar papel higiénico, por exemplo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.