Afeganistão: Abdullah Abdullah admite não concorrer à segunda volta das presidenciais

Afeganistão: Abdullah Abdullah admite não concorrer à segunda volta das presidenciais

 

Lusa   Internacional   31 de Out de 2009, 11:44

As conversações romperam-se entre o Presidente Hamid Karzai e o seu rival Abdullah Abdullah e este admite não concorrer à segunda volta das eleições presidenciais no Afeganistão, disse na sexta-feira fonte conhecedora das negociações.

O anúncio pode ser feito este sábado mas, mais provavelmente, no domingo, disse aquela fonte.

Abdullah, que foi ministro dos Negócios Estrangeiros de Karzai, colocou diversas condições no início desta semana para considerar credível a segunda volta das eleições presidenciais, marcadas para 7 de Novembro, por pressão da comunidade internacional, após ter sido detectada uma fraude maciça na primeira volta.

As conversações foram inconclusivas e Abdullah mantém a acusação de que a segunda volta não vai ser mais livre e justa do que a primeira.

Uma das exigências de Abdullah era a demissão do presidente da Comissão Elelitoral Independente, Azizullah Lodin, nomeado por Karzai, considerando que aquele "não tem credibilidade".

Lodin tem negado qualquer favorecimento de Karzai e a Comissão já anunciou que o seu presidente não pode ser substituído.

Abdullah reclamava também modificações em alguns ministérios e um acordo de partilha de poder, disse a fonte (ocidental) que revelou a disposição de desistência do candidato.

O candidato queria a partilha do poder em vez da votação, enquanto Karzai defende que a partilha se faça após a votação, explicou a fonte.

Por seu turno, os talibãs continuam a ameaçar a integridade física dos afegãos que foram votar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.