Açoriana procura apoio para ir ao Mundial de Parajiu-Jitsu

Açoriana procura apoio para ir ao Mundial de Parajiu-Jitsu

 

Nuno Martins Neves   Outras modalidades   30 de Out de 2019, 06:56

A florentina Leónia Braga é pioneira na prática da modalidade em Portugal e lançou um crowdfunding para reunir o orçamento necessário para competir no Campeonato do Mundo que se realiza no Dubai.

“Ir ao Mundial no Dubai é um sonho pessoal, mas é também uma divulgação da modalidade e uma motivação para outras pessoas com deficiência”. Quem o diz é Leónia Braga, florentina de 39 anos atualmente a morar em Matosinhos. Paratleta desde os 20 anos, quando um acidente obrigou à amputação de uma parte da perna direita, a açoriana lançou uma angariação de fundos para competir na prova que irá realizar-se naquele país do Médio Oriente.

A história de Leónia Braga é um conto de superação: praticante de desporto de tenra idade - “adorava futebol e fui federada em atletismo e voleibol” - saiu da ilha das Flores para perseguir uma carreira no exército. “Aos 20 anos, tive um acidente e fiquei sem metade de um pé. Infelizmente, fiquei com infeções que foram piorando com o tempo”. O aparecimento de uma osteomielite obrigou à tomada de decisões difíceis: a única forma de travar a progressão da infeção e de permitir a Leónia uma vida sem dor era a amputação.

De um momento para o outro, a jovem florentina teve de deixar a vida militar. Para recuperar a condição física perdida, surgiu, “por acaso”, o Jiu-Jitsu. “A equipa Sampaio-BJJ fez uma aula de demonstração no ginásio que frequentava e decidi ir ver. Pensava que não podia praticar por causa da falta de metade da perna, mas o mestre chamou-me lá para o meio e disse que nada me impedia de praticar”.

Dito e feito: o “bichinho” da arte marcial nasceu e não mais parou de crescer: os treinos eram, ao mesmo tempo, um “escape” da vida diária, onde podia sentir-se como uma pessoa normal; mas também “uma superação de mim mesma”, conta.

A primeira luta deu “vontade de voltar a repetir” uma e outra vez, até que o primeiro pódio conquistado (no Grand Slam de Matosinhos, em 2018) foi muito mais que a medalha de prata ao peito. Foi “um sentimento de superação pessoal, uma sensação de obstáculo ultrapassado como amputada e uma motivação extra para seguir em frente”.
Seguiram-se as medalhas em Milão (ouro) e Londres (prata), e agora o objetivo é chegar ao Campeonato do Mundo em Abu Dhabi. Um obstáculo difícil, pois o Parajiu-Jitsu não é uma modalidade paraolímpica e, por isso, apoiada. Recai tudo na atleta e Leónia Braga não baixa os braços: ainda sem resposta das várias empresas e entidades a quem pediu ajuda, a florentina lançou-se numa angariação de fundos na internet.

“Sinceramente, não faço ideia onde poderei chegar. Participar já é uma enorme vitória para mim e darei o meu melhor, sem dúvida. Chegar ao pódio seria um sonho”, finaliza.


Meta de 500 euros foi atingida no espaço de uma semana

O crowdfunding “Ajude a Paratleta Leónia a participar no Campeonato do Mundo no Dubai” começou a 17 de outubro e no espaço de seis dias o objetivo foi atingido. A meta era 500 euros, o valor mínimo que o site permitia para fazer a campanha. “Na verdade, os valores necessários são bem mais elevados”, explica a açoriana. No orçamento presente no site, a paratleta estima que para concretizar a participação no Mundial seja preciso 1600 euros. Até segunda-feira, dia 28 de outubro, Leónia Braga já tinha arrecadado 543 euros, provenientes de 23 apoiantes.

“Até agora as partilhas têm sido muitas, posso dizer que tem sido uma surpresa positiva, as pessoas têm sido muito generosas”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.