Açores querem afirmar-se como destino de mergulho

Açores querem afirmar-se como destino de mergulho

 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Out de 2011, 13:03

A afirmação dos Açores como destino turístico de mergulho é um dos principais objetivos da III Bienal de Turismo Subaquático, que começa na sexta-feira em Santa Cruz da Graciosa, um dos melhores locais do arquipélago para mergulhar.

“Existe potencial nos Açores para esta atividade”, afirmou José Toste, diretor da Associação Regional de Turismo (ART), que promove este encontro, onde serão debatidas estratégias para a evolução deste setor turístico nos Açores.

José Toste salientou à Lusa que, depois da aposta na observação de cetáceos e nos trilhos pedestres como produtos turísticos, “agora estão criadas as condições para se começar a apostar no mergulho”.

A existência de centros de mergulho em quase todas as ilhas do arquipélago e a profissionalização das empresas que operam nesta área garantem as condições necessárias para essa aposta, frisando o diretor da ART que se tem registado “uma evolução positiva do número de turistas de ano para ano”.

“Este ano registou-se um aumento expressivo, na sequência de uma pequena presença numa feira especializada na Alemanha. No próximo ano, com uma presença mais forte, a captação de turistas para o mergulho nos Açores será ainda maior”, afirmou.

Para José Toste, “é difícil dizer qual a melhor ilha para mergulhar”, frisando que os Açores disponibilizam “uma grande variedade de tipologias de mergulho, que permitem um grande leque de escolhas”.

O mergulho com grandes pelágicos, como o tubarão baleia, em Santa Maria, o mergulho com tubarões no Pico e no Faial ou o mergulho arqueológico na Terceira e em S. Miguel são alguns exemplos dessa variedade.

“Um pouco por todas as ilhas há bons locais para mergulhar”, assegurou José Toste.

A ilha Graciosa, onde vai decorrer entre sexta-feira e domingo a III Bienal de Turismo Subaquático, é um dos melhores locais para mergulhar nos Açores, sendo especialmente conhecida pela excelente visibilidade das suas águas, que chega frequentemente aos 30 metros.

A beleza dos fundos submarinos ao longo da costa é apenas um dos atrativos do mergulho na Graciosa, onde também é possível mergulhar com meros de grandes dimensões ou junto de navios naufragados.

O arquipélago dos Açores oferece uma enorme variedade de locais de mergulho e de geologia de fundo, com uma visibilidade que varia entre 10 e 30 metros.

A origem vulcânica das ilhas açorianas criou uma fisiografia de costa e de fundo muito variada, destacando-se a grande quantidade de túneis, cavernas e grutas, além da diversidade da flora e da fauna.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.