Vila Franca do Campo foi o concelho mais abstencionista

Vila Franca do Campo foi o concelho mais abstencionista

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Out de 2019, 09:32

O concelho de Vila Franca do Campo, em São Miguel, Açores, foi o que registou a taxa mais alta de abstenção em território nacional nas legislativas de domingo, com 70,4% dos eleitores a optarem por não votar.

De acordo com os resultados disponíveis no portal de análise de dados estatísticos da Social Data Lab para a agência Lusa, no concelho de Vila Franca do Campo, ilha de S. Miguel, dos 10.588 inscritos votaram 3.137 eleitores.

A taxa de abstenção mais baixa foi registada no concelho de Vila de Rei, no distrito de Castelo Branco, 30,4%.

Neste pequeno concelho do interior do país, com 2.750 eleitores inscritos, 69,5% (1.913) foram votar.

A nível nacional, a taxa de abstenção registou um novo recorde nas eleições legislativas, ao situar-se nos 45,5%, segundo a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

Os dados da abstenção das eleições de domingo dizem respeito aos cerca de 9,3 milhões de eleitores recenseados no território nacional, faltando ainda os cerca de dois milhões de eleitores residentes no estrangeiro.

A taxa de abstenção nas eleições legislativas tem vindo a registar um aumento ao longo dos anos.

Em 2015, a taxa de abstenção tinha atingido os 44,4% e, em 2011, ficou nos 41,1%, tendo dois anos antes se situado nos 39,4%.

Em 2002, quando os sociais-democratas, liderados por Durão Barroso, ganharam as eleições, a taxa de abstenção cifrou-se em 38,52%, ligeiramente abaixo dos 38,91% registados na segunda eleição de António Guterres, em 10 de outubro de 1999.

Logo nas eleições seguintes, em 2005, que deram a José Sócrates o seu primeiro mandato como primeiro-ministro, a abstenção ficou-se pelos 35,74%.

Já nas eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975, a abstenção ficou nos 8,3% e nas primeiras legislativas, em 1976, situou-se nos 16,4%.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.