Açoriano Oriental
Venda de casas recua 0,2% no terceiro trimestre, mas preços aumentam 3%

A venda de casas registou uma quebra de 0,2% no terceiro trimestre deste ano face ao número observado no período homólogo, mas o valor das transações aumentou 3% em termos homólogos.

Venda de casas recua 0,2% no terceiro trimestre, mas preços aumentam 3%

Autor: Lusa/AO Online

Ao longo do terceiro trimestre deste ano foram transacionados 45.830 alojamentos familiares, segundo revelam os dados da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), o que traduz um aumento de 7,6% face ao trimestre anterior, mas uma quebra homóloga de 0,2%.

Relativamente aos valores de venda, que ascenderam a 6,5 mil milhões de euros entre julho e setembro de 2019, a informação recolhida pela APEMIP indica um aumento de 6,6% na comparação em cadeia (face ao trimestre imediatamente anterior) e de 3% face aos valores registados no terceiro trimestre do ano passado.

Para o presidente da APEMIP, Luís Lima, estes dados estão em linha com o esperado pelo setor, com o abrandamento do número de transações observado a ser “essencialmente” justificado “pela diminuição do ‘stock’ existente”.

A escassez de oferta é, de resto, uma das dificuldades apontadas por Luís Lima para fazer previsões sobre o comportamento do mercado no próximo ano.

Ainda que considere “expectável que o mercado sinta uma estabilização ou uma ligeira quebra no número de transações imobiliárias”, o presidente da APEMIP acentua, citado em comunicado, ser “difícil prever o seu comportamento, uma vez que é extremamente complexo monitorizar um mercado onde há fortes desequilíbrios entre a oferta e a procura”.

“Neste caso, a oferta existente não é suficiente para dar resposta as necessidades da procura, que tem vindo a crescer, não só no mercado de compra e venda como no mercado de arrendamento”, afirmou o mesmo responsável.

Dos 45.830 alojamentos familiares transacionados no terceiro trimestre, cerca de um terço (15.489) situam-se na Área Metropolitana de Lisboa, enquanto a Área Metropolitana do Porto registou 7.420 transações.

Os dados da APEMIP indicam ainda que o valor das habitações transacionadas na Área Metropolitana de Lisboa correspondeu a três mil milhões de euros, representando quase metade (46,6%) do valor total.

Já o valor das transações na AM do Porto fixou-se nos 989 milhões de euros.

De janeiro a setembro de 2019 foram transacionadas 132 246 casas, o que corresponde a uma variação homóloga de 0,02%.

Em termos de valores de venda, neste período registou-se um aumento de 4,3%.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.