União Europeia aprovou novo programa para melhorar segurança a internet


 

Lusa/AO Online   Internacional   9 de Dez de 2008, 17:12

A União Europeia aprovou hoje um novo programa para melhorar a segurança das crianças quando navegam na Internet que contará com um orçamento de 55 milhões de euros para o período entre 2009 e 2013.
O programa, que entra em vigor em Janeiro de 2009, visa combater a manipulação psicológica e o assédio sexual, tornando mais protegidos os programas informáticos on-line e as tecnologias dos telemóveis, indicou hoje a Comissão Europeia em comunicado.

    A Comissão está convencida que esta estratégia permitirá aos mais jovens usar com maior segurança serviços de Internet como as redes sociais, os blogues e as mensagens instantâneas.

    O novo programa co-financiará projectos que pretendam sensibilizar a população, sobretudo os jovens, pais e professores.

    Além disso, adianta, visa proporcionar uma rede de pontos de contacto através de uma página web e um número de telefone para informar de conteúdos e condutas ilícitas e prejudiciais, em especial materiais relacionados com abusos sexuais a crianças, manipulação e assédio on-line.

    Outro dos objectivos é estimular iniciativas de auto-regulação neste meio e criar uma base de dados sobre as novas tendências no uso da Internet e suas consequências na vida das crianças.

    O orçamento de 55 milhões de euros será repartido: 48 por cento para sensibilizar a população, 34 por cento para lutar contra os conteúdos ilegais, 10 por cento para promover um ambiente de re4de mais seguro e oito por cento para criar uma base de conhecimentos.

    Bruxelas indicou que, segundo uma sondagem publicada hoje, 75 por cento dos menores entre os seis e os 17 anos utilizam a Internet e metade das crianças de 10 anos tem um telemóvel.

    A mesma sondagem, realizada em Outubro, refere que 60 por cento dos pais europeus preocupam-se com a possibilidade de os seus filhos virem a ser vítimas de manipulação psicológica via Internet, um acto que acontece quando um adulto procura conquistar amizade com as crianças com a intenção de cometer abusos sexuais.

    Por outro lado, 54 por cento dos progenitores temem que os seus filhos possam ser objecto de assédio em paginas de Internet ou mediante mensagem no telemóvel.

    A Comissão Europeia propôs a base deste plano em Fevereiro e o Parlamento Europeu deu parecer positivo em Outubro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.