Açoriano Oriental
Covid-19
UE lança inquérito para saber impacto da pandemia no setor cultural

A União Europeia lançou esta quarta feira um inquérito 'online', através do programa Europa Criativa, para avaliar o impacto da pandemia da doença Covid-19 nos setores cultural e criativo.

article.title

Foto: Fernando Resendes
Autor: AO Online/ Lusa

A partir das respostas a este inquérito, o Europa Criativa quer perceber que impacto terá a pandemia ao longo das próximas semanas em toda a atividade cultural e das indústrias criativas, para poder “promover recomendações para políticas públicas”, de âmbito europeu.

“Feiras, festivais e concertos cancelados, clubes e teatro fechados: as indústrias culturais e criativas já estão a ser economicamente afetadas pela propagação do novo coronavírus”, lê-se na página do Europa Criativa.

Para a União Europeia, a paralisação generalizada do setor “afetará a longo prazo” todos os intervenientes, de pequena e grande escala, e “com efeitos económicos e sociais incompreensíveis”.

No curto inquérito, disponível em www.ecbnetwork.eu, a União Europeia pergunta, por exemplo, estimativas de perdas até ao final do ano, dimensão da entidade cultural ou em que área artística são geradas as vendas.

O Europa Criativa é o programa da União Europeia para apoiar o setor cultural e criativo, contando com três subprogramas para Media, Cultura e Media Mundus.

Este ano termina o plano financeiro 2014-2020 do programa Europa Criativa, com um orçamento de 1,4 mil milhões de euros.

O próximo programa, de 2021-2017, tem um orçamento de 1,8 mil milhões de euros.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 430 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 226.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos registados até terça-feira.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registando 3.434, entre 47.610 casos de infeção.

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

O Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.