Três anos de prisão para dissidente chinês Huang Qi


 

Lusa / AO online   Internacional   23 de Nov de 2009, 14:23

O dissidente chinês Huang Qi, detido em 2008 depois de criticar a actuação das autoridades no terramoto de Sichuan (sudoeste), foi condenado a três anos de prisão por "posse ilegal de segredos de Estado", informou a família.
Huang Qi, 46 anos, declarou-se inocente quando compareceu em tribunal em Agosto, mas foi entretanto declarado culpado por um tribunal da capital de Sichuan, Chengdu, disse a sua mulher, Zeng Li.

"Vamos naturalmente recorrer", disse a mulher, contacatada por telefone pela agência noticiosa francesa AFP.

O advogado do dissidente, Mo Shaoping, afirmou que os documentos qualificados pelo tribunal como segredos de Estado estavam disponíveis na Internet. "Não reconhecemos este veredicto. Mantemos que ele está inocente", disse.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.