Taxa de desemprego em Portugal permanece entre as 3 mais elevadas da OCDE em setembro

Taxa de desemprego em Portugal permanece entre as 3 mais elevadas da OCDE em setembro

 

Lusa/AO online   Economia   13 de Nov de 2013, 10:49

A taxa de desemprego em Portugal desceu para os 16,3% em setembro, mantendo-se, no entanto, como a terceira maior dos países que integram a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para os quais existem dados disponíveis.

No conjunto dos países da OCDE, a taxa de desemprego manteve-se nos 7,9%, assim como na União Europeia, onde permaneceu nos 11% e na zona euro, com 12,2%.

De acordo com a OCDE, as diferenças face aos níveis pré-crise verificadas nas taxas de desemprego nos 24 dos 34 países da organização, para os quais existem dados até setembro, permanecem “elevadas”.

O país com a taxa mais elevada continua a ser a Grécia, com 27,6% mas tendo em conta dados de julho - o último mês disponível -, seguida de Espanha, que se manteve com 26,6% em setembro, e Portugal, com 16,3% (taxa que já tinha sido divulgada pelo Eurostat a 31 de outubro).

Nos EUA, a taxa de desemprego em setembro baixou para os 7,2%, dos 7,3% observados em agosto.

Segundo a OCDE, no final de outubro havia 47,9 milhões de desempregados no conjunto dos países que compõem a organização (menos 100 mil do que em agosto, mas ainda mais 13,2 milhões do que em julho de 2008, antes da crise).

Ao nível dos jovens, a taxa de desemprego média na OCDE caiu uma décima para os 16%, mas subiu na mesma proporção na zona euro para os 24,1%, com França a subir “significativamente” para os 26,1%, Espanha e Portugal a manterem os níveis do mês anterior (nos 56,5% e 36,9%, respetivamente) e a cair na Irlanda para os 28%.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.