Eleições

Stephen Harper vence legislativas canadianas

Stephen Harper vence legislativas canadianas

 

Lusa/AOonline   Internacional   15 de Out de 2008, 12:10

O Pardido Conservador do primeiro-ministro Stephen Harper venceu na terça-feira as eleições legislativas no Canadá, mas sem maioria absoluta, segundo os resultados divulgados pela agência eleitoral do país.
De acordo com estes dados, os conservadores vão à frente, garantindo já 143 dos 308 lugares do Parlamento, mais do que os 127 que detinham na anterior legislatura.

    Mas com quase todos os votos contados, tornou-se claro esta madrugada que o Partido Conservador não conseguirá obter os 155 assentos necessários para obter uma maioria absoluta.

    Isso irá obrigá-lo a procurar de novo o apoio da oposição para conseguir aprovar o orçamento e a legislação, como acontece desde a sua vitória eleitoral de 2006.

    Stephen Harper tinha convocado estas eleições na esperança de as vencer com maioria absoluta, mas o seu partido procura agora valorizar os resultados, destacando o aumento de lugares que obteve.

    "O nosso partido é maior, a nossa base de apoio é mais ampla e mais canadianos estão a identificar-se com o Partido Conservador", afirmou Harper ao fim da noite.

    "Mostrámos que um governo minoritário pode trabalhar e nestes tempos difíceis de instabilidade económica global temos a obrigação de o demonstrar uma vez mais aos canadianos".

    O Partido Liberal, durante muito tempo a principal força política do país, sofreu um sério revés ao descer de 95 para 76 lugares a sua representação parlamentar, de acordo com a agência eleitoral.

    O Bloco Quebequês deverá obter 50 assentos, os Novos Democratas 37 e os candidatos independentes dois.

    Geralmente, o partido que ganha a maioria dos lugares forma governo e o seu líder torna-se primeiro-ministro. Os partidos da oposição podem unir-se e derrubar Harper se conseguirem formar juntos uma maioria, mas os analistas consideram essa hipótese improvável por não existir no Canadá a tradição de formar esse tipo de governos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.