STAL denuncia situação de oito trabalhadores dos Serviços Municipalizados de Ponta Delgada

STAL denuncia situação de oito trabalhadores dos Serviços Municipalizados de Ponta Delgada

 

Lusa/Aonline   Regional   2 de Set de 2011, 15:31

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) alertou hoje para a situação dos trabalhadores dos Serviços Municipalizados de Ponta Delgada, nos Açores, que ainda não viram reconhecida a categoria em que desempenham funções.

"Em causa está a situação de oito trabalhadores dos Serviços Municipalizados de Ponta Delgada, assistentes operacionais que desempenham funções de assistentes técnicos há mais de três anos e que deviam transitar de categoria com a entrada em vigor da lei de vínculos e carreiras da administração pública", afirmou Graça Silva, do STAL.

A dirigente sindical, que falava em conferência de imprensa, frisou que, "apesar dos alertas do sindicato e do compromisso dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS), nada ainda foi feito", salientando que o processo decorre desde janeiro de 2010.

Graça Silva referiu que já foram realizadas "várias reuniões" com Berta Cabral, presidente da Câmara de Ponta Delgada e do Conselho de Administração dos SMAS, e hoje deveria ter decorrido um novo encontro, mas "apenas apareceu um jurista".

"Informaram-nos que o Conselho de Administração estava de férias, mas tivemos conhecimento que um elemento (o diretor delegado) estava nas instalações, o que leva a concluir que não quiseram receber o STAL", afirmou.

Graça Silva lamentou que não tenha sido encontrada "uma solução administração" para estes trabalhadores, alegando que "dois funcionários dos serviços, nas mesmas condições, transitaram em setembro de 2010 para a carreira que desempenhavam funções, o mesmo se tendo passado com outros da autarquia".

"Para nós, há um tratamento diferenciado entre trabalhadores, com prejuízos em termos de carreira e remuneração", afirmou, acrescentando que os trabalhadores com a situação por resolver "estão a ser prejudicados em cerca de 100 euros mensais".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.