Sporting nos "oitavos" pela primeira vez na história

Sporting nos "oitavos" pela primeira vez na história

 

LUSA/AO   Futebol   4 de Nov de 2008, 20:12

Um golo de Derlei permitiu ao Sporting bater o Shakhtar Donetsk e garantir pela primeira vez o apuramento dos "leões" para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões de futebol, após três participações falhadas
Um golo de Derlei permitiu ao Sporting bater o Shakhtar Donetsk e garantir pela primeira vez o apuramento dos "leões" para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões de futebol, após três participações falhadas.
O Sporting beneficiou ainda do empate caseiro do FC Barcelona com o Basileia (1-1), no outro encontro da quarta jornada do Grupo C da “Champions”, para garantir, a par com os catalães, a qualificação para a próxima fase. Uma jogada individual de Izmailov, que, aos 73 minutos, ofereceu o golo a Derlei, disfarçou uma exibição desinspirada dos “leões”, que mostraram muito poucas ideias ao longo da partida.
Acima de tudo, o Sporting voltou a ser uma equipa pragmática, somando a quarta vitória por 1-0 nos últimos cinco jogos, sendo que, no outro encontro, o clube lisboeta empatou (0-0) em Paços de Ferreira.
Abel, Miguel Veloso e Hélder Postiga regressaram à titularidade no Sporting, enquanto Pedro Silva, Romagnoli e Derlei, expulso na partida com o Rio Ave, de uma forma que desagradou ao treinador “leonino”, Paulo Bento, iniciaram o jogo no banco de suplentes.
Ao meio-campo do Sporting, com Miguel Veloso mais recuado, João Moutinho na posição “10” e Rochemback e Izmailov nas alas, faltaram ideias na primeira parte e disso se ressentiu o jogo ofensivo dos “leões”, que, em 45 minutos, acertaram duas vezes na baliza.
Mas não foi apenas no ataque que o meio-campo do Sporting sentiu dificuldades, pois a defender mostrou-se muito estático, dando demasiado espaço à equipa ucraniana, que não conseguiu aproveitar.
Contudo, o Sporting pode queixar-se do árbitro luxemburguês Alain Hamer, que, logo aos cinco minutos, deixou passar em claro uma escusada mão de Fernandinho na área.
Com grandes dificuldades para construir jogo e para parar o quinteto sul-americano (quatro brasileiros e um boliviano) que surgia perto da sua área, o Sporting apenas acertou com a baliza ucraniana aos 21 minutos, e na marcação de um livre directo, que Miguel Veloso atirou à figura de Pyatov.
Apesar de conseguir trocar bem a bola nas imediações da área “leonina”, o Shakhtar Donetsk falhava quase sempre no último passe e, apenas aos 35 minutos, fez o primeiro remate enquadrado, num cabeceamento de Brandão para as mãos de Rui Patrício.
O lance mais perigoso da primeira parte surgiu em cima do intervalo, quando Hélder Postiga, com um pontapé de bicicleta falhado, Liedson e Izmailov, que viram os seus remates interceptados, não conseguiram aproveitar os erros defensivos contrários.
Apesar de uma ligeira melhoria, o Sporting continuava a mostrar poucas ideias na etapa complementar, tendo só aos 66 minutos criado perigo, num remate ligeiramente ao lado de Liedson.
Na melhor jogada do encontro, aos 73 minutos, o golo tão desejado pelos “leões” acabaria por surgir, na sequência de uma grande jogada de Izmailov, que tirou um adversário do caminho e deu o golo a Derlei.
Com o Shakhtar adiantado no terreno, Izmailov voltou a criar perigo, aos 84 minutos, mas, desta feita, João Moutinho não conseguiu dar a sequência ideal à jogada do russo, muito por culpa de Chygrynskiy, que evitou que o remate chegasse à baliza.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.