Açoriano Oriental
Seleção de andebol arranca apuramento para Euro2022 com triunfo sobre Israel

A seleção portuguesa de andebol iniciou a segunda fase de qualificação para o Campeonato da Europa de 2022 com um triunfo expectável na receção a Israel, por 31-22, em encontro da jornada inaugural do Grupo 4.

 Seleção de andebol arranca apuramento para Euro2022 com triunfo sobre Israel

Autor: Lusa/AO Online

Num Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos sem público, a equipa das ‘quinas’ já vencia ao intervalo (14-12) e abrilhantou o regresso ao ativo, nove meses após a melhor prestação de sempre num torneio continental, finalizada na sexta posição.

No plano individual, Alexis Borges, António Areia, Pedro Portela e Víctor Iturriza sobressaíram pela formação de Paulo Jorge Pereira, todos com quatro golos, enquanto Gil Pomeranz revelou eficácia total nos 10 tentos apontados pelo conjunto israelita.​​​​​​​

Portugal lidera a ‘poule’, com os mesmos dois pontos da Islândia, que bateu hoje a Lituânia (36-20), e vai deslocar-se ao nordeste europeu para enfrentar o país báltico no domingo, a partir das 14:00 de Lisboa, na Arena Siemens, em Vilnius.

A seleção nacional luta por uma das 20 vagas restantes no próximo Europeu, que vai decorrer entre 13 e 30 de janeiro de 2022, na Hungria e na Eslováquia, ambas já apuradas na condição de anfitriãs, tal como Espanha e Croácia, finalistas em 2020.

Os ‘heróis do mar’, epíteto celebrizado em janeiro, entraram adormecidos em campo e acusaram pouca fluidez ofensiva nas primeiras incursões, tendo a falta de pontaria resultado em desvantagens parciais de três golos (1-4 e 2-5) antes dos 10 minutos.

Portugal demorou a encontrar agressividade face à postura combativa de Israel, movida pela assertividade de Gil Pomeranz e os reflexos do inspirado Moshe Elimelech, e só alcançou a dianteira aos 19 minutos (9-8), após a pausa pedida por Paulo Jorge Pereira.

O duelo prosseguiu equilibrado e animado até ao descanso e assentou na superioridade dos ataques organizados sobre os blocos defensivos contrários, tendo o ligeiro ascendente das transições lusas originado uma diferença de dois tentos à maior (14-12).

A etapa complementar trouxe guião semelhante e a réplica inicial de Israel conduziu a nova inversão momentânea aos 36 minutos (15-16), antes de Portugal aproveitar o desgaste alheio para descolar com naturalidade no último quarto de hora (23-18).

Sem os influentes Gilberto Duarte e Tiago Rocha, os pupilos de Paulo Jorge Pereira cresceram com o avanço do relógio e fixaram nove golos à maior, recuperando rotinas rumo a um ciclo intenso, que trará o Mundial2021 e o torneio pré-olímpico até março.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.