Açoriano Oriental
Liga das Nações
Ronaldo 'bisa', ultrapassa os 100 e Portugal vence na Suécia

Um ‘bis’ de Cristiano Ronaldo, que ultrapassou a marca dos 100 golos, deu a Portugal nova vitória na Liga das Nações de futebol, desta vez por 2-0, na Suécia, na segunda jornada do Grupo 3.


Autor: Lusa/AO Online

Sete anos depois, Ronaldo regressou ao Friends Arena, em Solna, nos arredores de Estocolmo, e voltou a ser decisivo no triunfo da seleção nacional, desta vez com dois ‘tiros’, aos 45 minutos, de livre direto, e aos 72. Em 2013, nesse mesmo estádio, o avançado já tinha assinado um ‘hat-trick’, que na altura garantiu o apuramento para o Mundial2014.

No total, o avançado já marcou sete golos aos suecos, registo que só tem paralelo com os apontados à Lituânia.

Depois de ter falhado o duelo com a Croácia (4-1), devido a uma questão física, Ronaldo regressou em força na sua 165.ª internacionalização ‘AA’ e tornou-se apenas no segundo jogador na história do futebol a ultrapassar a marca da centena, passando a somar 101. O recordista é Ali Daei, que fez 109 pelo Irão, entre 1993 e 2006.

Ronaldo foi mais uma vez determinante, mas a tarefa da equipa de Fernando Santos ficou menos difícil precisamente na falta que resultou no primeiro golo do ‘capitão’ luso, com o médio Gustav Svensson a ver o segundo cartão amarelo, seguido do vermelho.

Foi o lance que determinou a partida, num triunfo que deixa Portugal, detentor do título, no topo do Grupo 3, em igualdade pontual com a França (seis), com tudo a apontar que serão estas duas seleções a lutar pela passagem à fase final da competição.

Diogo Jota, que até tinha marcado frente à Croácia, acabou por ser o jogador sacrificado pelo selecionador Fernando Santos para a entrada de Ronaldo, naquela que foi a única alteração no ‘onze’ em relação ao jogo do Estádio do Dragão. O guarda-redes Anthony Lopes, que está de regresso à seleção nacional depois de dois anos de ausência, devido a problemas pessoais, voltou a ‘atirar’ Rui Patrício para o banco de suplentes.

Numa Friends Arena completamente despida de público, o 10.º encontro de Portugal em solo sueco começou com o avançado Berg, o ‘capitão’ da equipa da casa, a desperdiçar uma grande oportunidade logo aos dois minutos, quando atirou de cabeça ao lado, num lance em que apareceu totalmente solto na área.

Foram uns primeiros 20 minutos difíceis para os campeões europeus, com a Suécia a fechar bem as linhas de passe aos jogadores portugueses, que foram tendo muitas dificuldades em manter o domínio da bola.

Nesse período, a Suécia esteve claramente por cima, mas, além do tal lance de Berg, nunca obrigou Anthony Lopes a ter de sujar o seu equipamento.

Praticamente na primeira vez que chegou à baliza de Olsen, Portugal ficou bem perto de marcar, por Pepe, que falhou a bola na pequena área, quando só tinha de encostar.

Nesse lance, a seleção não marcou e acabou por perder Bernardo Silva por lesão. O jogador sentiu uma dor muscular quando fez o centro para Pepe e acabou rendido por Gonçalo Guedes.

Ultrapassada a ansiedade da fase inicial, Portugal foi crescendo na partida e, por duas vezes, o guarda-redes Olsen impediu Ronaldo de chegar ao tão desejado golo 100.

Contudo, à terceira foi de vez. Ronaldo disparou de livre direto, aos 45 minutos, e não deu hipóteses a Olsen, numa fase de ‘terror’ para os suecos.

Além do golo, Svensson viu o segundo amarelo, por falta dura sobre Moutinho, e subitamente a Suécia ia para o intervalo a perder e com menos uma unidade.

Como seria esperado, na segunda parte, a Suécia entregou o controlo da bola a Portugal fechando-se lá atrás, sempre à espera de poder sair rápido no contra-ataque.

Mesmo com o domínio da partida, a seleção nacional foi sentindo dificuldades em ‘furar’ a teia defensiva dos suecos, embora Bruno Fernandes tenha feito a bola bater na barra, aos 60 minutos, com um remate de primeira a centro de Raphaël Guerreiro.

Com o passar dos minutos, e sem Portugal conseguir ‘matar’ a partida com o segundo golo, a Suécia foi ganhando alguma confiança e chegou a assustar Lopes, embora o guarda-redes Lyon nunca tenha sido chamado a intervir.

Contudo, aos 72 minutos, Ronaldo acabou de vez com a esperança sueca, com novo ‘disparo’ de fora da área, desta vez num lance corrido.

Até final, Fernando Santos ainda refrescou o meio campo com a entrada de Ruben Neves para o lugar de João Moutinho e Ronaldo saiu esgotado, aos 81 minutos, dando lugar a Diogo Jota.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.