Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   19 de Out de 2007, 06:30

A aprovação pelos líderes europeus do novo Tratado da União Europeia e o protesto de milhares de trabalhadores em Lisboa contra a política económica e social em Portugal fazem hoje as manchetes dos jornais diários lisboetas.

“Tratado de Lisboa nasceu hoje às 00:45” é a manchete do jornal Público que adianta que o acordo será assinado formalmente pelos líderes europeus em Lisboa no dia 13 de Dezembro.

    O jornal Público é o único matutino que noticia a aprovação do novo Tratado Europeu.

    O Tratado Europeu de Lisboa irá substituir o projecto falhado da Constituição Europeia, inviabilizado depois de ter sido rejeitado em referendos em França e na Holanda, em 2005.

    O Jornal de Notícias faz hoje manchete com a Cimeira de Lisboa e o Tratado Europeu, titulando “Portugal convence Itália a fechar Tratado de Lisboa”.

    De acordo com o matutino, a presidência portuguesa propõe mais um deputado para Roma e evita o bloqueio negocial.

    O diário revela ainda que o primeiro-ministro José Sócrates quer reservar o dia de hoje só para discutir temas como ambiente e globalização.

    O Diário de Notícias escreve “Quase Tratado”, referindo que os chefes de Estado e de Governo da União Europeia deveriam chegar hoje a acordo quanto ao texto final do novo Tratado europeu.

    O Jornal de Negócios refere “Sócrates promete `tratado de Lisboa´” enquanto o Diário Económico escreve “Discussão noite dentro para mudar a Europa”.

    A manifestação de trabalhadores de todo o país no Parque das Nações, em Lisboa, em protesto contra a política económica e social em Portugal e em defesa de uma Europa com direitos sociais e emprego, é outro tema em destaque nos jornais.

    O Diário de Notícias sublinha na capa uma fotografia da manifestação e titula “200 mil contra a flexigurança”.

    O Jornal de Notícias escreve “CGTP junta 200 mil na rua” enquanto o Público salienta “Duzentos mil protestam contra Governo”.

    O Correio da Manhã avança na primeira página “Ex-aluno angaria crianças no Maria Pia”, citando denúncias da ex-provedora da Casa Pia Catalina Pestana.

    De acordo com o CM, um antigo casapiano recruta em colégio da instituição vítimas para abusos sexuais.

    O jornal realça também na capa que o primeiro-ministro inglês Gordon Brown aproveitou a cimeira de Lisboa para “pressionar José Sócrates no caso Maddie”.

    Na primeira página, o CM revela ainda que as “agressões a {Ricardo] Bexiga vão ser arquivadas” no âmbito do processo “Apito Dourado”.

    O 24horas notícia que “McCann tiraram coisas do apartamento na noite fatal”, referindo que Gerry e Kate tiveram a autorização da polícia.

    O Jornal de Negócios faz manchete com o título “Estradas de Portugal vai poder cobrar portagens nos IC e IP”.

    De acordo com o económico, o contrato de concessão entre o Estado e a Estradas de Portugal, recentemente transformada em sociedade anónima, prevê que a empresa possa passar a cobrar portagens na sua rede de Itinerários Principais e Complementares dotados de características de auto-estrada.

    O JdN destaca ainda uma entrevista ao secretário de Estado da Administração Pública, João Figueiredo, na qual garante: “Rescisões amigáveis não avançam em 2008”.

    Na primeira página, o Diário Económico diz que “Reforço espanhol põe BCP ao rubro”.

    A notícia de que o La Caixa, maior accionista do BPI, reforçou no BCP fez disparar acções do banco português, acrescenta o DE.

    O económico dedica algumas páginas ao que “mudou no mercado com a nova lei das rendas”.

    O Semanário Económico anuncia no título principal que a Comissão de Mercados e Valores Mobiliários (CMVM) “vai castigar maus conselhos financeiros com multas até 2,5 milhões” de euros, na sequência de uma directiva europeia que entra em vigor a 01 de Novembro e que se destina a proteger mais os investidores.

    Destaque ainda para uma entrevista com Ludgero Marques, presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), que afirmou que o motor do crescimento do país sairia do Norte se a região recebesse uma percentagem maior do Orçamento de Estado.

    O Semanário destaca na primeira página, sobre a imagem da bandeira da Europa a 12, a declaração de Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia: “Não há razão ou desculpa para não haver acordo sobre o Tratado”.

    O jornal publica ainda uma entrevista com Ribau Esteves, o novo secretário-geral do PSD, que afirma ser vontade da direcção social-democrata que “Santana Lopes seja um líder parlamentar com muito protagonismo”.

    Em compasso de espera nas principais competições internas, os matutinos desportivos dedicam a atenção a assuntos como a “agressividade” do montenegrino Vukcevic, do Sporting, publicando entrevistas a José António Camacho, treinador do Benfica, e Freddy Adu, avançado norte-americano ao serviço do clube da Luz.

    “Estamos a assustar muita gente” é a tese do técnico espanhol ao serviço do Benfica para explicar que “pessoas de fora tentam +minar+” o clube, anunciando a redução do plantel de 30 para 23 jogadores e a contratação de um ou dois reforços em Janeiro, na reabertura do mercado.

    “Rui Costa é como um pai” foi a frase de Freddy Adu (Benfica) escolhida por O Jogo para destacar a entrevista com o jovem avançado norte-americano, que se afirma já adaptado e desejoso de se tornar num grande jogador.

    No Record a manchete faz-se com Vukcevic, tratado como “Karate Kid” por ir “buscar agressividade às artes marciais”, numa história de vida em que o matutino revela que foi o pai do jogador que o convenceu a enveredar pela carreira de futebolista.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.