Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   17 de Set de 2008, 06:26

A possível falência da seguradora AIG, a descida do preço do petróleo e a derrota do Sporting frente ao Barcelona (3-1) em jogo da Liga dos Campeões são assuntos hoje em destaque na imprensa de Lisboa.
O Público chama à primeira página “Mundo suspenso da crise na maior seguradora americana”, sublinhando que dezenas de bancos estão expostos à possível falência da AIG.

    O Instituto de Seguros de Portugal diz que as apólices em Portugal estão garantidas, sublinha o matutino.

    O diário puxa ainda para a capa que o ministro da Economia, Manuel Pinho, atribuiu os elevados preços dos combustíveis à especulação das petrolíferas internacionais.

    “Combustíveis em Portugal entre os que menos baixam” anuncia em manchete o Diário de Notícias.

    O matutino diz que há cerca de 20 países da União Europeia que desceram mais os preços dos combustíveis que Portugal, desde que o valor do petróleo começou a cair.

    O DN destaca ainda o apelo do Presidente da República, Cavaco Silva, para que os políticos dignifiquem funções dos juízes.

    O Correio da Manhã faz hoje manchete com o título “Portugueses fogem das apólices de Ronaldo”, explicando que a seguradora AIG, patrocinadora do Manchester United, está à beira da falência, referindo que a AIG tem 40 mil clientes em Portugal.

    O jornal destaca ainda que “Descida do petróleo não chega aos bolsos dos automobilistas” e a derrota do Sporting frente ao FC Barcelona por 3-1 em jogo para a Liga dos Campeões disputado no estádio Campo Nou, Barcelona.

    Na primeira página, o Jornal de Notícias adianta “Governo pressiona corte no preço das gasolinas”.

    O jornal diz que as petrolíferas são lentas nos acertos a fazer depois da descida do barril do petróleo.

    “Presidente do Supremo quer salários mais altos para os juízes” e “Instituto de Seguros garante cobertura da AIG em Portugal” são outros assuntos no JN, que destaca ainda a derrota do Sporting frente ao Barcelona.

    O 24horas anuncia que “Polícia desfaz gangue perigoso do Porto”, contando que a Operação “Charlie” com 300 efectivos colocou 18 suspeitos atrás das grades.

    O Diário Económico chama à primeira página “Banco da Sonangol abre em Portugal”, contando que o líder do banco privado atlântico deslocou-se na última semana ao Banco de Portugal.

    “Wall Street aposta em ajuda estatal a gigante dos seguros” e “Como pôr os seus filhos a estudar no estrangeiro” são outros títulos em destaque no DE.

    Por sua vez, o Jornal de Negócios titula “Bruxelas quer Concorrência mais atenta ao preço dos combustíveis”.

    “Risco da banca portuguesa dispara” é outro título do JdN, referindo que a subida das taxas de juro é o principal efeito da crise sobre Portugal.

    O económico revela ainda que o concurso para a construção e concessão da nova ponte sobre o Tejo Chelas-Barreiro foi adiada para 2009.

    A revista Focus destaca na sua edição “Desejo de Seduzir”, divulgando “alguns conselhos para homens e mulheres”.

    A derrota do Sporting frente ao Barcelona, por 3-1, na primeira jornada do grupo C da Liga dos Campeões em futebol domina hoje com naturalidade as primeiras páginas dos jornais desportivos.

    “Só deu para arranhar”, titula o Record, indicando que o “Golo de Tonel ainda alimentou o sonho em Camp Nou”, mas sublinhando que os “Leões facilitaram demasiado”.

    Depois o jornal destaca o “Penalti infantil de Abel”, um “Polga infeliz nos lances decisivos” e defende que “Bento erra ao tirar Veloso do meio-campo”.

    Na sua manchete, A Bola fala em “Medo das estrelas”, referindo que o “Sporting falha prova de fogo em Barcelona”, ao demonstrar “uma reverência doentia em Camp Nou”, onde Paulo Bento foi “infeliz a mexer na equipa”.

    “Atarantados” foi o título escolhido por O Jogo para a sua edição de hoje, onde o jornal dá conta de uma “primeira parte desastrada” e refere que “Passar Veloso para lateral-esquerdo foi o último dos grandes erros”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.