Conjuntura

Recessão de 2011 ficará mais próxima de 1,5% do que dos 2%

Recessão de 2011 ficará mais próxima de 1,5% do que dos 2%

 

Lusa/AO online   Economia   14 de Nov de 2011, 10:36

A quebra do crescimento económico em Portugal, este ano, deverá ficar mais perto dos 1,5 por cento do que dos 2 por cento, considerou o Núcleo de Estudos Avançados da Católica (NECEP), no relatório de análise das contas trimestrais, hoje divulgadas.
O Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal caiu 1,7 por cento no terceiro trimestre deste ano face ao mesmo período do ano anterior, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), revelando uma tendência de deterioração da economia portuguesa, mas os dados são, apesar disso, menos negativos que as previsões divulgadas pela Comissão Europeia na semana passada.

Segundo a estimativa rápida das contas nacionais do INE, este é o terceiro trimestre consecutivo em que a economia portuguesa encolhe em comparação com o ano anterior. Em cadeia (isto é, face ao trimestre anterior), também se registou uma quebra, de 0,4 por cento.

De acordo com a análise do NECEP, "estes valores são consistentes com uma trajectória do PIB em 2011 menos desfavorável do que a prevista pelo Governo, Banco de Portugal, Comissão Europeia e outras instituições internacionais”. Assim, “tudo indica que a quebra do PIB em 2011 ficará mais perto de 1,5 por cento do que de 2 por cento"

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.