Euronext Lisboa

Quedas de 18 títulos empurram PSI 20 para descida de 0,97%


 

Lusa / AO online   Economia   22 de Out de 2007, 16:56

A Euronext Lisboa fechou em queda, em sintonia com as congéneres europeias, a recuar 0,97 por cento, para 12.623,90 pontos, numa sessão em que a quase generalidade dos títulos registou perdas.
Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 18 desceram e só dois subiram, numa sessão de elevada liquidez.

Durante a sessão foram negociadas 64 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 256,1 milhões de euros.

Pela positiva destaque para a Jerónimo Martins e EDP, os únicos títulos em alta.

Do lado negativo, as maiores quedas pertenceram à Soares da Costa, à Altri e à Mota Engil.

A Europa viveu mais um dia de quedas, depois dos responsáveis do FMI e do Banco Mundial terem dito que a subida dos custos do crédito e a alta do petróleo podem vir a limitar o crescimento económico mundial.

Entre as quedas mais acentuadas contaram-se as das acções da mineira BHP, num dia em que o cobre esteve a baixar, e de empresas mais expostas ao ciclo económico, como a Royal Philip Electronics e a Electrolux.

    Em baixa esteve também o sector bancário, numa sessão em que o Credit Suisse reviu em baixa as previsões de lucros para o Royal Bank of Scotland.

O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou a perder 1,13 por cento, para 3,776.66 pontos, enquanto o Euronext 100 encerrou a descer 1,35 por cento, para 1.016,81 pontos.

As desvalorizações nas congéneres da bolsa português oscilaram entre os 0,98 por cento de Londres e os 1,73 por cento de Milão.

A Euronext Lisboa acompanhou a tendência negativa do exterior, numa sessão em que o BCP foi o título que mais penalizou o índice, dado o seu peso.

A banco de Jardim Gonçalves recuou 2,47 por cento para os 3,16 euros, com a primeira queda em quatro sessões, depois de na sexta-feira ao final do dia o Banco de Portugal e a CMVM terem dito que estão a investigar operações bancárias realizadas pela instituição que suscitam dúvidas e que podem ser ilegais.

A Soares da Costa foi o título com a descia mais pronunciada, ao perder 3,6 por cento, no dia em que apresentou o seu plano estratégico.

A construtora disse hoje que espera crescer 13 por cento ao ano até 2013 e que vai começar a pagar dividendos a partir de 2009.

Estas boas notícias não conseguiram impedir o título de cair, com a acção a corrigir dos ganhos das sessões anteriores.

Em queda esteve também a PT, com uma descida de 0,39 por cento.

A Galp, que anunciou sexta-feira ao final do dia que irá pagar um dividendo intercalar a partir de 7 de Novembro, fechou a cair 0,7 por cento, incapaz de escapar à tendência de queda do resto da bolsa.

Do lado das subidas, a Jerónimo Martins acumulou um ganho de 0,41 por cento, a três dias da apresentação de resultados, e a EDP valorizou 0,23 por cento para os 4,28 euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.