Energia

Queda do preço de petróleo e gás adia «guerra» pelo Árctico


 

Lusa/AO online   Economia   18 de Nov de 2008, 11:12

A queda do preço do petróleo e do gás nos mercados internacionais poderá pôr fim às ambições da Rússia no que respeita à exploração das riquezas da plataforma continental árctica, indicam dados publicados esta terça-feira.
De acordo com os dados do Instituto de Ciência e Investigação da Geologia e do Petróleo da Rússia, apenas 1 por cento das reservas de petróleo extraído na plataforma continental do Árctico poderá ser rentável, dado os actuais preços do petróleo no mercado mundial e o sistema tributário russo.

    A situação poderá alterar-se se o preço do barril do petróleo subir, no mínimo, até aos 100 dólares e o Estado isentar de impostos as petrolíferas durante um período de sete a dez anos.

    Mas mesmo assim, refere o relatório, continuará a ser mais vantajoso explorar gás e petróleo em terra.

    A plataforma continental do Árctico, pretendida pela Rússia, contém reservas de cerca de 100 mil milhões de toneladas de combustível, nomeadamente 13,8 mil milhões de toneladas de petróleo e 79,1 mil milhões de metros cúbicos de gás.

    Na corrida às riquezas do Árctico participam, além da Rússia, o Canadá, Estados Unidos, Noruega e Dinamarca.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.