PSD/Terceira diz que visita do Governo dos Açores à ilha foi "mão cheia de nada"

PSD/Terceira diz que visita do Governo dos Açores à ilha foi "mão cheia de nada"

 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Nov de 2018, 14:15

O PSD da ilha Terceira acusou esta quinta-feira o Governo Regional dos Açores de ter tentado “iludir” a população da ilha com promessas, durante uma visita de trabalho em que levou uma "mão cheia de nada".

“Do balanço geral desta visita, considera o PSD/Terceira que a mesma resultou, daquilo que era fundamental, numa mão cheia de nada, atrevendo-nos mesmo a dizer que estivemos perante uma interessante operação de charme ou uma bela encenação para consumo interno, tendo ficado a maioria dos terceirenses muito desapontada ou dececionada com esta visita”, adiantou o vice-presidente da Comissão Política de Ilha (CPI) do PSD na Terceira, Rui Espínola.

O social-democrata falava numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo, em reação a uma visita à ilha Terceira que o Governo Regional realizou na semana passada.

Segundo Rui Espínola, o presidente do Governo Regional lançou nesta visita a primeira pedra do Terminal de Cargas da Aerogare Civil das Lajes, mas a obra já tinha sido prometida pelo PS há vários anos.

“Na Terceira, com os últimos executivos socialistas uma obra leva em média 10 anos a ser concretizada”, frisou, dando ainda como exemplo o Parque de Exposições da Ilha Terceira, inaugurado este ano e prometido em 2004.

O dirigente social-democrata disse que a visita estatutária do executivo açoriano trouxe também “um rol de más notícias”, como o anúncio da “desistência da criação de uma Zona Económica Especial para a envolvente ao Porto da Praia da Vitória”, prometida em 2015.

O Governo Regional alegou que a proposta poderia ser recusada pela Comissão Europeia, tendo em conta que a ilha Terceira já não reunia os requisitos de "recessão económica" para a criação de uma Zona Económica Especial, mas os social-democratas acusam o executivo regional de ter demorado demasiado tempo a avançar com o processo.

“A pergunta que se impõe é: o que é que andou o Governo Regional a fazer até agora? Se esse processo tivesse avançado, se calhar a questão estaria já noutro andamento”, questionou Rui Espínola.

O vice-presidente da comissão de ilha dos sociais-democratas criticou ainda a decisão do executivo açoriano de não avançar com a criação de um centro de radioterapia na ilha Terceira, onde foi construído um hospital com um espaço reservado para esse serviço.

“Vem agora o Governo Regional de forma inaudita anunciar que este investimento não se justifica na ilha Terceira, devido ao reduzido número de casos. Ora, se o critério fosse este, não haveria centros de saúde nas ilhas, nem aeroportos, nem portos, nem outro tipo de investimentos estruturantes”, frisou.

Rui Espínola acusou, por outro lado, o executivo socialista de anunciar estudos que demoram anos, com o intuito de “empatar” e “adiar” investimentos estruturantes para a ilha, como a construção de uma rampa roll-on/roll-off no Porto das Pipas, em Angra do Heroísmo, a abertura de um concurso internacional para a concessão da exploração do Porto da Praia da Vitória e a construção de um cais de cruzeiros na ilha.

“O Partido Socialista governa a região há 22 anos e só se pode queixar de si próprio, pois não faltou dinheiro, nem recursos, nem estabilidade política”, sublinhou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.