Política

"PSD é uma manta de retalhos"

"PSD é uma manta de retalhos"

 

João Alberto Medeiros   Regional   8 de Set de 2008, 12:29

Na reentrada do novo ano político, para não variar, Carlos César, a pouco mais de um mês das eleições legislativas regionais, voltou a atacar o maior partido da oposição ao, simultaneamente, proceder a um balanço do trabalho desenvolvido pelo PS no poder regional
O líder dos socialistas açorianos acusou ontem o PSD/Açores de ser  “uma manta de retalhos em que as pessoas se atacam umas às outras”.
Carlos César, que falava no Pinhal da Paz, na “rentrée” política do partido, questionou-se sobre “o que seria do Governo dos Açores se eles fossem lutar uns contra os outros, esquecendo os problemas dos açorianos”.
Aqui e ali, ao longo da sua intervenção, em que se fez acompanhar em palco pelos candidatos a deputados pelo círculo eleitoral de São Miguel, o rival PSD não foi esquecido.
Considerou que o PS tem sido na Região o “campeão da criação  de postos de trabalho, ao contrário do que se passava no tempo do PSD.”
César revelou que um futuro Governo socialista  vai continuar a “apostar fortemente” no turismo de cruzeiros e no turismo do transporte marítimo de passageiros que “é um sucesso tão grande este ano que até o PSD está triste e calado com os resultados”.
Também o ensino serviu de pretexto para atacar o maior partido da oposição:”recuperámos dos números que o PSD nos deixou e que nos envergonhavam do abandono e de insucesso escolar”.
Numa alusão às centenas de pessoas que se deslocaram ao Pinhal da Paz, Carlos César referiu que “demonstramos assim a nossa força, a nossa unidade, a nossa confiança, a  nossa energia, o nosso empenhamento para continuarmos a trabalhar para os Açores como temos feito e como vamos continuar com a vitória que vamos obter no dia 19 de Outubro”.
Manifestando-se “orgulhoso do que já fizemos”, não deixou de sublinhar que o PS está “ansioso por continuar a cumprir”.
O líder dos socialistas quer, por outro lado, que “se sinta cada vez mais entre as pessoas uma diferença para melhor nos Açores, apesar das dificuldades que surgem do exterior com os aumentos das taxas de juro à habitação e dos combustíveis, matérias-primas e bens alimentares”.
Os socialistas querem “proteger cada vez mais as nossas famílias e as nossas empresas, estendendo os benefícios de um desenvolvimento integral de todas as nossas ilhas”.
“Nós sabemos que tem havido dificuldades, mas apesar disso podemos ter motivos de satisfação porque temos resultados que são melhores do que todas  as outras regiões do país”.
César declarou que “a nossa economia cresce mais do que a média nacional e europeia”
“O rendimento disponível das famílias aumentou, apesar dos salários ainda serem baixos, porque há mais gente a trabalhar”.
Lembra que neste capítulo, antes do PS entrar para o Governo, a Região ocupava o último lugar. Hoje surge à frente das regiões Norte, Centro e Alentejo.
César predispõe-se a aumentar o número de empresas, proporcionando a possibilidade de pagarem melhores salários, bem como a aumentar a população empregada.
Lembrou, por outro lado, que “em 10 anos já foram resolvidos  mais de 15 mil casos de falta de habitação”.
Em relação ao projecto autonómico, o presidente dos socialistas açorianos declarou que “nunca nos desviámos da defesa da nossa autonomia e agora que é preciso ter mais força do que nunca, o PS vai continuar na primeira linha da frente da sua defesa”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.