Política

PSD denuncia situação "muitíssimo preocupante" do sector da saúde

PSD denuncia situação "muitíssimo preocupante" do sector da saúde

 

Lusa/AO online   Regional   13 de Dez de 2011, 17:25

A presidente do PSD/Açores, Berta Cabral, denunciou a situação “muitíssimo preocupante” que se vive no sector da saúde, considerando ser necessário dar “atenção especial” aos fornecedores do Serviço Regional de Saúde.
“Estão extremamente aflitos com a situação que se está a viver”, afirmou Berta Cabral, frisando que é necessário inverter este quadro sob pena de colocar em risco a sobrevivência do tecido empresarial.

Para a líder regional social-democrata, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com a Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada, depois de a construção civil ter sido “a grande vítima das políticas governamentais, assiste-se agora a um novo sector que está a ser vítima dessas políticas”.

“Temos que por cobro a isto, de outra forma qualquer dia não resta nada do tecido empresarial e da sustentabilidade das empresas na região”, afirmou.

Berta Cabral salientou que o sector da saúde “está em absoluta ruptura”, frisando que as recentes demissões ocorridas na SAUDAÇOR e no Hospital de Ponta Delgada reflectem “uma insustentabilidade que faz com que as pessoas não queiram assumir excessivas responsabilidades na gestão destas entidades públicas”.

Essa insustentabilidade do sector resulta, segundo a líder do PSD/Açores, de “um défice crónico, que é preciso perceber como se resolve, e de um défice de fundo de maneio, de curto prazo, que está a deixar os empresários numa situação muito delicada”.

Para inverter este quadro, Berta Cabral defendeu a necessidade de “tornar o sector equilibrado todos os anos”, acrescentando que o financiamento de 22 milhões de euros previsto no orçamento regional para 2012 não chega para um sector que tem um défice anual de cerca de 100 milhões de euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.