PSD critica Governo dos Açores e Atlânticoline sobre operação de transporte marítimo

PSD critica Governo dos Açores e Atlânticoline sobre operação de transporte marítimo

 

Lusa/AO Online   Regional   12 de Jun de 2019, 15:09

O PSD/Açores acusou esta quarta-feira o Governo açoriano e a Atlânticoline de “falta de profissionalismo” na preparação da operação sazonal de transporte marítimo de passageiros, vincando que o adiamento da chegada de um dos navios demonstra “amadorismo”.

A Atlânticoline, empresa de transportes marítimos pública dos Açores, anunciou na terça-feira que fretou o navio Aqua Jewel para assegurar a operação de verão, depois de o armador do Azores Express ter rescindido o contrato.

Citado numa nota de imprensa divulgada pelo PSD, o deputado social-democrata açoriano Marco Costa sustenta que “todas as decisões sobre a operação do verão de 2019 deveriam ter sido tomadas com a devida antecedência, por forma a lidar com eventuais imprevistos".

Nesse sentido, prossegue, “é flagrante a falta de profissionalismo do Governo Regional e da administração da Atlânticoline. Os açorianos voltam a ser prejudicados com o amadorismo desta governação socialista”, remata.

Para o deputado, as “sucessivas trapalhadas da governação de Vasco Cordeiro [presidente do Governo dos Açores] põem em causa a mobilidade dos açorianos e o desenvolvimento do turismo em muitas ilhas, em especial as mais pequenas”.

“A operação de verão do transporte marítimo de passageiros perde toda a credibilidade perante os operadores turísticos, dado que, durante meses, é prometido um determinado navio cuja operacionalidade, afinal, nunca foi confirmada”, refere Marco Costa, sustentando que os açorianos já perderam a conta aos sucessivos incidentes em torno do transporte marítimo de passageiros, apesar das dezenas de milhões de euros dos contribuintes gastos pelo Governo”, diz também.

O deputado social-democrata frisa ainda que “o Governo Regional é reincidente na falta de capacidade de planeamento, como também se comprova pelos diferentes concursos anulados para a construção de novos navios de transporte de passageiros”.

Em comunicado, a Atlânticoline explicou que, “apesar de todos os esforços e empenho” da empresa “para garantir o navio Azores Express na operação sazonal de 2019, tal não foi possível, uma vez que o armador, face aos sucessivos atrasos no cumprimento das suas obrigações contratuais, apresentou a rescisão do contrato no passado dia 09 de junho”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.