Açoriano Oriental
PS quer recuo de Durão nas quotas leiteiras
Acompanhados por Carlos César, na passagem pela Feira de Santana, o candidato do PS/Açores na lista nacional ao Parlamento Europeu, Luís Paulo Alves, e o número três da lista do partido, Capoulas Santos, reiteraram a sua posição contra o desmantelamento do regime de quotas leiteiras.

Autor: Luísa Couto

Em declarações aos jornalistas, Capoulas Santos disse mesmo esperar que a próxima Comissão Europeia “seja mais amiga do sector do leite”.


“Espero que, se o drº Durão Barroso continuar, possa corrigir um pouco o tiro”, através da revisão da proposta da própria Comissão, afirmou Capoulas Santos, para quem a “realidade demonstrou, como era previsível no fim de 2008, que um aumento da produção corresponderia a uma degradação dos preços”.


De acordo com informação disponibilizada pelo gabinete de imprensa dos socialistas açorianos, o socialista defende mesmo que  as lições que a Europa está a tirar da crise mundial “ deviam servir para corrigir, na Política Agrícola Comum, a decisão errada de um excesso de liberalismo” no sector leiteiro.

Luis Paulo Alves, por sua vez, após o contacto com diversos produtores agrícolas, deixou claro que o desmantelamento do sistema de quotas só prova que a “Europa vai com o passo trocado”.


“Quando há necessidade de restringir a oferta no mercado, porque vivemos uma crise do lado da procura, com excedentes, a liberalização do sistema deve ser posta em causa”, argumenta.


Falando à comunicação social, o candidato indicado pelo PS/Açores mostrou-se  ainda convicto de que “é possível que um conjunto de países que estão ter uma abordagem realista destes desequilíbrios actuais do mercado possam fazer valer as suas posições, no sentido de actuar já sobre vários factores”.

Farpas à oposição
No jantar de campanha, na freguesia da Relva, na noite de quarta-feira, o momento serviu para o líder do PS/Açores falar dos argumentos que estiveram na escolha do de Luís Paulo Alves, processo que, segundo Carlos César, decorreu com “calma e autonomia”. O líder dos socialistas açorianos frisou que Luís Paulo Alves é o melhor candidato, porque “tivemos a liberdade de querer e de escolher, tivemos também a responsabilidade de procurar entre todas as possibilidades o que melhor nos podia representar”.


Nós não fomos a um qualquer hipermercado de potenciais candidatos a esta eleição comprar um candidato para, à pressa, substituir um ingrediente que nos faltava no jantar”, realçou.


Também para César, tem sido o PS quem pontua na campanha.


“Não pedimos, nos Açores, um cartão amarelo para a presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, não pedimos, nos Açores, um cartão amarelo para o Presidente da República”, sustentou César, para quem o que está em causa nestas eleições é o “impacto das políticas europeias no dia-a-dia e no progresso desta Região Autónoma”.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.