PS/Açores valoriza ação do Governo nacional na região, oposição fala em propaganda

PS/Açores valoriza ação do Governo nacional na região, oposição fala em propaganda

 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Set de 2019, 13:49

O líder parlamentar do PS/Açores, Francisco César, valorizou hoje a ação do Governo da República para com o arquipélago nos últimos quatro anos, mas a oposição defendeu que o debate reveste-se de um "objetivo eleitoralista e propagandístico".

O hemiciclo açoriano debate hoje, por proposta do PS, os impactos na região das políticas do Governo da República liderado por António Costa, isto a menos de um mês das eleições legislativas.

No arranque da sessão, Francisco César traçou uma "avaliação positiva" do executivo socialista nacional e, mesmo reconhecendo que "não há governos perfeitos", apresentou "dez prioridades" para a região nos próximos tempos.

A gestão açoriana do mar, o interesse da região no Plano Nacional de Investimentos, a criação de um círculo eleitoral dos Açores para o Parlamento Europeu, o reforço da Política de Coesão ou o melhorar de condições de acessibilidade de pessoas e cargas foram algumas das ideias apresentadas pelo líder da bancada socialista.

"Mas para falarmos do futuro temos de reconhecer o caminho que trilhámos nos últimos quatro anos", advertiu, antes de elencar evoluções em campos como a economia, a confiança no funcionamento das instituições democráticas ou a "complementaridade entre o Serviço Nacional de Saúde e o Serviço Regional de Saúde".

A oposição, contudo, teceu críticas a vários argumentos do socialista, trazendo ainda para debate declarações recentes do secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, sobre o subsídio social de mobilidade.

"Novamente estamos nesta casa a discutir uma temática que o PS levanta somente com um objetivo eleitoralista e propagandístico, sem qualquer veracidade dos acontecimentos", começou por dizer o deputado único do PCP no parlamento açoriano, João Paulo Corvelo.

O comunista assinalou ainda a "marca do PCP" em diversos "feitos concretizados" na Assembleia da República em prol dos Açores, facto que o PS/Açores "se esqueceu" de referir.

Já o líder da bancada do PSD/Açores, Luís Maurício, afirmou que o PS/Açores "está muito empenhado em defender este Governo da República, mas fica muito acanhado sempre que o Governo da República afronta os Açores", falando o social-democrata no subsídio social de mobilidade e nas críticas ao modelo recentemente tecidas por António Costa.

O Bloco de Esquerda, por António Lima, disse não ter "qualquer dúvida" que o "impacto de parte importante das políticas seguidas pelo Governo da República foram positivas" para os Açores, tecendo comparações com a "política do desastre que foi a anterior governação" nacional, de PSD e CDS, "que provocou dor e sofrimento desnecessários e que não poupou os Açores".

O CDS-PP, pela deputada Graça Silveira, lembrou o legado de Assunção Cristas como ministra do Mar, e posteriormente o também centrista Artur Lima dirigiu-se ao Bloco de Esquerda para lembrar propostas pelos Açores do CDS na Assembleia da República, em sede de discussão de Orçamento do Estado, chumbadas pelos bloquistas.

Já o deputado único do PPM na Assembleia Legislativa dos Açores, Paulo Estêvão, interveio no começo do debate lembrando ser candidato pelos monárquicos às legislativas de outubro e criticando em concreto o presidente do PSD, Rui Rio, que esteve recentemente em São Miguel e demonstrou ser um "anti-autonomista".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.