Programa Outono Vivo promove a leitura e acolhe Congresso da APEL na Praia da Vitória, Açores

Programa Outono Vivo promove a leitura e acolhe Congresso da APEL na Praia da Vitória, Açores

 

Lusa/AO online   Cultura e Social   10 de Out de 2011, 19:42

O programa Outono Vivo, da Câmara da Praia da Vitória, na Terceira, Açores, será dedicado à Lusofonia e vai decorrer a par do Congresso da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), marcado para 28 e 29 de outubro

Na apresentação do programa Outono Vivo, feita hoje na cidade açoriana, o presidente da autarquia, Roberto Monteiro, destacou a realização do congresso como uma forma de "aceder a escritores e autores de referência a nível nacional".

A sexta edição do Outono Vivo, ao acolher a iniciativa, vai procurar "promover e valorizar a leitura e o livro", mas também "dar uma oportunidade" aos autores açorianos para lançarem as suas obras, conforme adiantou Roberto Monteiro.

Durante a iniciativa, "as montras das lojas serão transformadas em mostras de arte", como destacou o presidente da autarquia, desenvolvendo-se ainda uma "importante ligação à rede escolar do concelho e da ilha", sobretudo através da Feira do Livro que decorre ao longo dessa semana.

"É a terceira maior do país e a única que se organiza segundo um tema", afirmou Mário Duarte, responsável pelo espaço da Feira, que contará com cerca de 13 mil livros de mais de 100 editoras.

Na edição deste ano, haverá "sorteios diários de livros" e um "livro do dia, que terá mais descontos".

Novidade será também a Feira Gastronómica: Sabores da Lusofonia, que vai envolver restaurantes locais, estando ainda prevista a realização de um atelier de escrita criativa com António Couto, teatro para docentes com Rogério Paulo e uma oficina teatral pela companhia Comuna - Teatro de Pesquisa.

O programa prevê ainda o lançamento de nove livros, entre os quais "Da Monarquia à República", de José Miguel Sardica, e "Na esquina das ilhas", da autora brasileira Lélia Nunes.

Miguel Costa, da APEL, que participou hoje na apresentação local do congresso, reforçou as declarações já adiantadas à Lusa sobre o facto de este se realizar "num momento muito crítico para o setor do livro", salientando que "ainda está por conhecer o OE 2012 e muita gente tem receio, sobretudo por causa da alteração das taxas [de IVA]".

O congresso, que contará com mais de uma centena de participantes - como a agência Lusa já adiantou no final de agosto, quando do anúncio da programação -, terá como lema "O mundo que mudou", abordando as "grandes transformações tecnológicas", constituindo uma oportunidade para "refletir sobre a mudança e as perspetivas para o futuro", como destacou o responsável da APEL.

A reunião contará, entre outros, com a presença dos presidentes da Federação de Escritores Europeus e da Federação Europeia de Livreiros, e das editoras Leya e Porto Editora, estando prevista a participação do secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, na sessão de encerramento.

Durante os trabalhos, como a Lusa já adiantou, será apresentado um estudo sobre o "impacto da cópia ilegal na vida dos livros".

O congresso realiza-se a par do programa Outono Vivo, a iniciativa da Câmara da Praia da Vitória que decorre de 27 de outubro e 6 de novembro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.