Programa de acesso gratituto aos medicamentos já ajudou 3.000 famílias

Programa de acesso gratituto aos medicamentos já ajudou 3.000 famílias

 

Lusa/AO online   Nacional   12 de Nov de 2018, 16:38

A Associação Dignitude ajudou, em três anos, cerca de 6.000 beneficiários em todo o país, entre idosos e crianças, a adquirirem 120 mil medicamentos de forma completamente gratuita, disse fonte do programa.


Hoje, em Alijó, a Associação Dignitude e o município local assinaram o 100.º protocolo no âmbito do Programa ABEM que tem como objetivo garantir que agregados com carência económica tenham acesso aos medicamentos de que precisam.

“Em Portugal, um em cada cinco portugueses não consegue comprar os medicamentos que mais precisam. A crise económica agravou essa situação mas, com estes protocolos, tentamos minimizar o impacto que essa crise teve e continua a ter”, afirmou Francisco Faria, presidente da Dignitude e vice-presidente da Associação Nacional das Farmácias.

O responsável destacou ainda que “um quarto dos beneficiários são crianças até aos 18 anos”.

Criada há cerca de três anos, a associação Dignitude já abrangeu mais de três mil famílias, o que perfaz cerca de 6.000 beneficiários, a adquirirem 120 mil medicamentos.

Possui à volta de 540 farmácias aderentes e 100 entidades parceiras, entre câmaras, juntas de freguesias e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

Francisco Faria explicou que os beneficiários têm acesso a “todos os medicamentos prescritos e comparticipados de forma completamente gratuita nas farmácias aderentes”.

Os apoios são concedidos através de um fundo, para o qual contribuem as entidades parceiras e ainda iniciativas como campanhas de doações.

O fundo tem vários princípios, entre eles a inclusão e o anonimato. “O estigma da carência não pode acompanhar a pessoa na aquisição dos medicamentos”, salientou Francisco Faria.

O responsável disse que “nos balcões das farmácias todos os dias aparecem pessoas com dificuldades” e, por isso, frisou que o projeto “continua a ser muito pertinente e vai continuar a fazer a diferença nos portugueses”.

O presidente da Câmara de Alijó, José Paredes, afirmou que o programa entra em vigor a partir de janeiro de 2019 neste concelho do distrito de Vila Real.

“Queremos atingir, nesta primeira fase, 500 pessoas carenciadas do concelho. É um ótimo investimento, um investimento nas pessoas, na qualidade de vida e na saúde”, salientou o autarca.

Os beneficiários terão que dispor de um cartão do município para acederam ao apoio.

Para além de Alijó, em Trás-os-Montes também são parceiras do projeto as câmaras de Carrazeda de Ansiães e Torre de Moncorvo.

Francisco Faria adiantou que, até ao final ano, serão assinados mais 10 protocolos, elevando o programa ABEM para os 110 parceiros.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.