Primeiro plano dos polos locais de desenvolvimento dos Açores criado até fevereiro

Primeiro plano dos polos locais de desenvolvimento dos Açores criado até fevereiro

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Jan de 2019, 09:57

O Governo Regional dos Açores vai apresentar até ao final de fevereiro o primeiro plano de ação da Rede de Polos Locais de Desenvolvimento e Coesão Social, referente à freguesia da Terra Chã, na ilha Terceira.

"No caso específico da Terra Chã, nós iremos fazer um diagnóstico de situação e apresentar um plano de ação para dar resposta a esse diagnóstico de situação até ao final de fevereiro", adiantou o diretor regional da Saúde, Tiago Lopes, que coordena a equipa técnica do Polo Local de Desenvolvimento e Coesão Social da Terra Chã, à margem da primeira reunião do organismo.

O executivo açoriano aprovou, na segunda-feira, em Conselho de Governo, a constituição da equipa de coordenação da Rede de Polos Locais de Desenvolvimento e Coesão Social, uma medida integrada na Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social dos Açores.

Foram identificadas cinco freguesias com necessidades de intervenção prioritária: Água de Pau, no concelho da Lagoa, Arrifes, no concelho de Ponta Delgada, Fenais da Ajuda e Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, e Terra Chã, no concelho de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

As equipas são compostas por representantes das pastas da Saúde, Solidariedade Social, Educação e Emprego e Qualificação Profissional do Governo Regional, mas deverão trabalhar em conjunto com as entidades da comunidade, como centros comunitários, casas do povo, juntas de freguesia e associações.

"Iremos tentar potenciar e otimizar todos os recursos existentes, para dar resposta às necessidades da freguesia", salientou Tiago Lopes.

A Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social dos Açores tem mais de 80 ações previstas.

Caberá às equipas dos polos locais de desenvolvimento identificar as medidas "que se adequam" e adaptá-las, se necessário.

"Este é um esforço conjunto de tentar agregar todas as estratégias, todas as políticas que têm sido desenvolvidas para potenciar a vida social na Terra Chã, de forma a que entretanto todas se consigam articular entre si e extrair o máximo de cada uma em prol da comunidade", frisou o diretor regional da Saúde.

Segundo Tiago Lopes, a escolha destas cinco freguesias teve por base um diagnóstico de situação inicial da pobreza nos Açores, mas a médio e longo prazo poderão ser criados outros polos.

"Aquilo que se prevê é que estes primeiros cinco polos deem o pontapé de partida para o desenvolvimento de outros polos de ação local na Região Autónoma dos Açores e para que possamos aferir os resultados da implementação desta estratégia e, se houver necessidade, ajustar as diferentes ações", apontou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.