Açoriano Oriental
Presidente francês afirma que ataques foram "ato de guerra"
O presidente francês declarou hoje que os atentados de sexta-feira à noite em Paris, que causaram pelo menos 127 mortos, foram "um ato de guerra" de "um exército terrorista", do movimento do Estado Islâmico (EI).
Presidente francês afirma que ataques foram "ato de guerra"

Autor: AOnline/LUSA

François Hollande pediu aos franceses "unidade e sangue-frio", ao mesmo tempo que decretou o "luto nacional por três dias", na sequência dos ataques terroristas de sexta-feira.

"O que aconteceu ontem [sexta-feira] é um ato de guerra (...) que foi cometido pelo EI, organizado a partir do exterior e com cúmplices interiores que o inquérito deverá estabelecer", declarou, no Eliseu, Hollande.

Estes ataques foram "um ato de guerra... cometido por um exército terrorista (...) contra a França, contra aquilo que somos, um país livre", declarou.

Hollande acrescentou que vai falar na segunda-feira no parlamento, para informar sobre as medidas a adotar.

Pelo menos 127 pessoas morreram e 180 ficaram feridas, 80 dos quais em estado crítico, em diversos atentados em Paris, na sexta-feira à noite, segundo fontes policiais francesas.

Oito terroristas, sete deles suicidas, que usaram cintos com explosivos para levar a cabo os atentados, morreram, segundo as mesmas fontes.

Os ataques ocorreram em pelo menos seis locais diferentes da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o estádio nacional, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como “ataques terroristas sem precedentes no país”.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.