Prémio Nadal em 66ª edição com 261 manuscritos a concurso


 

Lusa / AO online   Internacional   5 de Jan de 2010, 15:52

A organização da 66ª edição do Prémio Nadal, o mais antigo galardão literário de Espanha, anuncia quarta-feira o vencedor entre os autores dos 261 manuscritos apresentados a concurso, provenientes também de países como Argentina, Brasil e Portugal.
Instituído em 1944 pela Edições Destino, em Barcelona, o prémio ascende a 18 mil euros para o vencedor, sendo que este ano a organização decidiu não atribuir o habitual prémio finalista.

Os autores a concurso são provenientes ainda de países como Uruguai, Chile, Colômbia, México, Brasil, França e Estados Unidos.

As obras têm enfoques diversos, desde o intimista ao de evocação histórica, mas, segundo a editora, este ano sobressai "um elevado número de novelas próximas do género negro".

O júri da edição deste ano é composto por German Gullón, Lorenzo Silva, Andrés Trapiello, Ángela Vallvey e o editor Emili Rosales.

Na 65ª edição, a escritora e jornalista espanhola Maruja Torres foi a vencedora com "Esperarme en el Cielo", e o finalista foi Rubén Abella, com "El Libro del Amor esquivo".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.