Campeonato de Portugal

Praiense quer colocar a ilha Terceira no mapa e Casa Pia fazer história

Praiense quer colocar a ilha Terceira no mapa e Casa Pia fazer história

 

Lusa/AO Online   Futebol   6 de Jun de 2019, 11:22

Os treinadores de Casa Pia e Praiense, semifinalistas do Campeonato de Portugal de futebol, preparam a primeira mão da meia-final, marcada para domingo, com o foco na vitória e assumem o desejo de atingir a II Liga.

Francisco Agatão, técnico do Praiense, afirma que, depois de o clube da ilha Terceira vencer a série D e chegar às meias-finais, o objetivo só pode ser 'carimbar' o acesso à final e, consequentemente, colocar o clube na II Liga.


“São certamente duas semanas especiais, em que se decidirá o futuro do clube, depois de 11 meses de competição. Depois do que fizemos este ano, estamos imbuídos do espírito de conquista e queremos muito ganhar pelo clube e pela ilha Terceira, pois, no nosso caso, representamos também uma região”, frisa o treinador.


Quanto aos dois embates que já teve com o Casa Pia esta época, na fase regular, Agatão relativiza as vitórias conseguidas e lembra que nos dois próximos fins de semana se jogam “duas finais”.


“Defrontámos o Casa Pia duas vezes, ganhámos ambas, mas temos a noção de que tudo será diferente. A equipa mudou de treinador, tem grande qualidade, jogadores com grande experiência e vai certamente criar-nos grandes problemas. Queremos um bom resultado em Pina Manique e trazer a discussão para a Praia da Vitória, onde temos sido imbatíveis”, assumiu.


Por seu turno, Luís Loureiro, treinador que chegou ao Casa Pia a meio da época, assume que “depois de tanta confusão”, é com "enorme satisfação" que vê a chegada da equipa, segunda classificada da série D, à meia-final do Campeonato de Portugal. Valoriza o trabalho dos jogadores e diz que é possível ir mais longe no confronto com o Praiense.


“Sinto uma grande satisfação por termos conseguidos chegar ao 'play-off'. Estes jogadores conseguiram manter o foco e acreditar que era possível, chegando a esta fase com todo o mérito. Depois, obviamente, quem chega a esta fase tem de ter a ambição de chegar à final”, diz o treinador.


Quanto ao duplo confronto com a equipa açoriana, Luís Loureiro afirma que “são duas equipas que se conhecem bem” e que por isso espera “mais dois jogos difíceis”, evitando comparações com os dois embates que o Casa Pia perdeu na fase regular.


“São jogos em que queremos escrever uma história diferente, numa fase diferente da prova. Entramos com ambição e no conjunto das duas mãos queremos sair vitoriosos”, confirma o técnico de 42 anos.


Quanto ao sonho da subida à II Liga, ambos os treinadores assumem que existe, mas garantem que por agora pensam apenas no adversário da meia-final.


“Quem chega a esta fase da prova mente se disser que não pensa na passagem à II Liga. Vamos ver o que sucede, mas não estamos focados nisso por agora, embora obviamente fosse muito positivo”, confirma Luís Loureiro, numa opinião seguida pelo técnico do Praiense.


“Traria um acréscimo de vida a esta ilha e à praia da Vitória, seria também bom em termos económicos, com o clube a ganhar outra visibilidade, mas vamos esperar para ver”, terminou Agatão.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.