Açoriano Oriental
Portugal sobrevive à 'lama' e está no Euro2020

Portugal garantiu este domingo o apuramento para o Euro2020 de futebol, depois de vencer um jogo bem complicado no Luxemburgo (2-0), na despedida do Grupo B, num encontro em que valeu a eficácia e maior experiência lusa.


Foto: MARIO CRUZ/LUSA
Autor: AO Online/ Lusa

No Estádio Josy Barthel, Bruno Fernandes desbloqueou a partida aos 39 minutos e, já perto do fim, aos 86, Cristiano Ronaldo confirmou o triunfo e a qualificação, que seria mesmo com uma derrota, com o seu 99.º golo com a camisola da seleção nacional.

Com zero graus de temperatura e com o relvado visivelmente em mau estado, Portugal teve muitas dificuldades para sair do Luxemburgo com uma vitória, frente a um rival que até chegou a ser superior durante a primeira parte.

A eficácia da seleção lusa, que chegou ao golo depois de três oportunidades perdidas pelo Luxemburgo, e a maior experiência dos seus jogadores, que souberam, sobretudo na segunda parte, controlar melhor a partida, foram determinantes para a vitória, que garante o segundo lugar do Grupo B.

O selecionador Fernando Santos optou por colocar André Silva na frente, ao lado de Ronaldo, numa aposta de acabou por ser falhada, mas acertou ao meter Danilo como trinco à frente da defesa, para a ‘batalha' na lama do Josy Barthel.

Raphaël Guerreiro também regressou ao lado esquerdo da defesa e foi uma das várias ‘vitimas' do relvado, sobretudo na primeira parte.

Os jogadores portugueses tiveram muitas dificuldades na altura de receber a bola e também no passe, com a seleção lusa a somar vários lances perdidos na primeira metade.

Mais habituada a estas condições, o Luxemburgo esteve por cima de Portugal, mostrando-se mais à vontade no controlo da bola e na construção de jogadas ofensivas.

Primeiro Deville, depois Trupel e Gerson ficaram perto de colocar a equipa na frente do marcador, perante um Fernando Santos que bem abanava a cabeça no banco de suplentes.

Neste período, Pizzi apareceu como o jogador mais inconformado do lado português, apesar de também pecar bastante na altura da decisão.

O golo português não caiu do céu, mas caiu dos pés de Bernardo Silva, que aproveitou uma das poucas desatenções da defesa do Luxemburgo para isolar Bruno Fernandes, aos 39 minutos.

O jogador do Sporting apareceu solto, recebeu a bola em grande estilo e disparou de forma ‘fulminante' para redes rivais, naquele que foi o seu primeiro golo em jogos oficiais, segundo no total.

Com alguma injustiça, Portugal estava na frente do marcador e a caminho do Euro2020 e, até ao intervalo, até podia ter aumentado a vantagem, com Bernardo Silva a ficar perto do segundo, após um erro do guarda-redes.

Na segunda parte, Portugal mostrou que estava mais adaptado ao terreno e foi tendo mais bola, fechando com mais facilidade qualquer tentativa do Luxemburgo, enquanto tentava reforçar a vantagem, embora de forma algo tímida.

Só Fonte, com um cabeceamento que passou perto da baliza, protagonizou uma verdadeira chance de golo, num jogo passou a ser demasiado ‘mastigado' a meio campo.

Por isso mesmo, Fernando Santos lançou Moutinho, para o lugar de Pizzi, e tirou André Silva, que nunca apareceu na partida, colocando Diogo Jota.

O avançado do Wolverhampton, já perto do fim, acabou estar no lance do segundo golo, em que tudo, mais uma vez, começou no pé esquerdo de Bernardo Silva.

O número ‘10' fez um passe quase perfeito para Jota que, já dentro da pequena área, atrapalhou-se com a bola, mas conseguiu dirigi-la para a baliza, acabando, porém, por ser Ronaldo a dar toque final quando a bola já quase a entrar.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.