Mundial trail

Portugal quer melhor lugar de sempre, sem compromisso com pódios

Portugal quer melhor lugar de sempre, sem compromisso com pódios

 

Lusa/AO Online   Outras modalidades   6 de Jun de 2019, 10:50

Portugal parte para o mundial de trail, no sábado, em Miranda do Corvo, com o objetivo de conseguir o melhor desempenho da história, sem se comprometer com medalhas.

“O que esperamos todos é fazer melhor do que historicamente já fizemos, um quinto lugar masculino e um sexto feminino. Temos ambições de melhorar essas classificações, mas tendo em conta que o nível de exigência e competitividade são cada vez maiores”, disse o selecionador José Carlos Santos.

Em declarações à agência Lusa, o técnico diz que dirige “boas equipas” em ambos os sexos, assumindo que André Rodrigues é quem mais condições tem de atacar os primeiros lugares.

“É um atleta da zona, o que terá a sua vantagem, está em boa forma e é o que melhor conhece o percurso”, justifica.

José Carlos Santos diz que este vai ser “o mais participado e competitivo mundial de sempre”, recordando as 53 nações e cerca de 450 atletas.

“Num contexto de 53 seleções, temos equipas muito poderosas e as que já eram tradicionalmente boas surgem particularmente fortes, como Espanha, França, Inglaterra e Estados Unidos, para citar apenas algumas”, disse.

André Rodrigues, Tiago Aires, Romeu Gouveia, Tiago Romão, Luís Semedo, Bruno Coelho, Dário Moitoso, Hélio Fumo e Bruno Silva são os nove portugueses em competição.

A representação feminina está a cargo de Sofia Roquete, Inês Marques, Cristina Couceiro, Lucinda Sousa, Sara Brito, Marisa Vieira, Mariana Machado, Paula Barbosa e Paula Soares.

“É um contexto mais difícil, mas temos o fator casa. Temos um conhecimento muito detalhado do percurso, o que pode jogar a nosso favor”, sublinhou.

Ao contrário de outros mundiais, com distâncias na casa dos 80 quilómetros, o de Miranda do Corvo vai contar com um traçado de 44 quilómetros, “num percurso original e particularmente desafiante”.

“Nesta distância reúne um pouco de tudo. É de tal forma variado, que não vamos conseguir ter aqui atletas que possam dizer com segurança que o traçado é talhado para este ou para aquele. É para alguém muito completo em termos de trail. É um percurso como nunca vimos num campeonato do mundo”, concluiu.

A prova do Campeonato do Mundo tem 44 quilómetros e disputa-se sábado, em Miranda do Corvo.

No domingo, à mesma hora, realiza-se a prova aberta, exatamente com o mesmo traçado, destinada à generalidade dos cerca de 7.000 federados em Portugal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.