Mundial 2010 - Qualificação

Portugal perde em casa com a Dinamarca

Portugal perde em casa com a Dinamarca

 

Lusa/AO online   Futebol   10 de Set de 2008, 22:03

Portugal perdeu hoje com a Dinamarca por 3-2, em jogo do grupo 1 da fase de qualificação europeia para o Mundial de futebol de 2010, disputado no estádio José Alvalade, em Lisboa
Portugal perdeu hoje com a Dinamarca, por 3-2, num jogo de qualificação para o Mundial2010 de futebol, em que a equipa lusa esteve por duas vezes em vantagem e acabou por sofrer três golos em oito minutos.
A selecção portuguesa adiantou-se no marcador aos 41 minutos por Nani, que fez o seu quinto golo na equipa AA e terceiro nos três jogos desta segunda fase de Carlos Queiroz como seleccionador nacional.
Aos 83 minutos, Bentdner empatou, mas Deco, que fez uma excelente exibição, recolocou Portugal em vantagem dois minutos depois.
Depois de uma segunda parte em que dispôs de quatro soberbas oportunidades de golo, Portugal acabaria por perder o encontro já nos minutos finais, graças aos golos de Poulsen (90) e Jensen (92).
Portugal até chegava a este encontro motivado por duas goleadas, num particular com as Ilhas Faroé (5-0) e frente a Malta (4-0), no primeiro encontro de apuramento para o Mundial2010.
Por seu turno, a Dinamarca viajou até Lisboa pressionada pelo empate na Hungria e pelo facto de poder ficar a cinco pontos de Portugal logo à segunda jornada, depois de ter falhado as duas últimas grandes competições internacionais.
Em relação ao encontro de quarta-feira com Malta, o seleccionador nacional, Carlos Queiroz, apostou em Paulo Ferreira e Maniche, mais experientes que Antunes e Carlos Martins, que saíram do “onze” para a bancada.
Assim, Quim manteve-se na baliza, Bosingwa, Pepe, Ricardo Carvalho e Paulo Ferreira formavam o quarteto defensivo, com Raul Meireles, Maniche e Deco no meio-campo, atrás de Simão, Nani e Hugo Almeida.
Apesar da motivação lusa, foi a Dinamarca que entrou melhor e, em três minutos, criou duas grandes oportunidades, a mais clara das quais, aos dois minutos, por Bendtner, que surgiu isolado frente a Quim, passou pelo guarda-redes luso, mas atirou a bola às malhas laterais.
A resposta portuguesa acabou por surgir pelos pés de Paulo Ferreira, aos quatro minutos, com um remate à entrada da área, que obrigou Stephan Andersen a uma excelente defesa.
Sob a batuta de Deco, Portugal ia dominando o encontro e podia ter inaugurado o marcador aos 20 minutos, após mais um grande cruzamento do “mágico”, com Maniche isolado a preferir assistir, de cabeça, Hugo Almeida, acabando a bola por ser cortada por um defesa.
Quim, que em Malta não tinha feito nenhuma defesa, acabou por evitar um golo na própria baliza de Raul Meireles, após um remate de Andreasen, aos 24 minutos, na resposta a mais uma grande jogada de Deco, que apenas falhou o remate.
A Dinamarca ia ameaçando em lances de bola parada ou em contra-ataque, como aconteceu aos 40 minutos, com Lovenkrands a ganhar sobre Bosingwa na área e, em excelente posição, a rematar por cima.
Quando muitos esperavam o intervalo, a selecção portuguesa acabou por tirar o tento inaugural da cartola, numa excelente jogada pelo lado esquerdo que envolveu Simão, Paulo Ferreira e Hugo Almeida, que ofereceu de bandeja o golo a Nani.
Portugal entrou um pouco intranquilo para a segunda parte, mas, apesar de algumas ameaças dinamarquesas, o primeiro lance de perigo acabou por surgir junto da baliza de Andersen, que viu Simão, isolado por Hugo Almeida, a atirar por cima.
Este foi o primeiro de vários lances claros de golo desperdiçados pela selecção portuguesa, com Nani, quatro minutos depois, a atirar por cima, depois de ter tirado um adversário do caminho.
Aos 74 minutos, acabado de entrar, Danny combinou bem com Deco, mas isolado não fez melhor que os seus companheiros e atirou ao lado.
Três minutos depois foi a vez de Nuno Gomes desperdiçar um golo de baliza aberta, após um grande passe de Danny.
Com o meio-campo português em claro défice físico, a Dinamarca chegaria ao empate, aos 83 minutos, por Bendtner, que aproveitou uma escorregadela de Bosingwa, para, solto, rematar para o fundo da baliza de Quim.
Contudo, Portugal reagiu bem e voltou a ganhar vantagem, por Deco, na conversão de uma grande penalidade, a punir falta de Andreasen sobre Nuno Gomes.
A poucos segundos dos 90 minutos, a Dinamarca voltaria a empatar, por Poulsen, na sequência de um canto, em que Quim saiu muito mal da baliza.
A reviravolta nórdica ficaria completa aos 92 minutos, quando Jensen rematou de longe e beneficiou de um desvio de um jogador português para marcar o golo da vitória.
No seu primeiro jogo oficial em casa, desde que regressou à selecção lusa, Carlos Queiroz acaba por averbar uma derrota em casa, o que nunca acontecera a Luiz Felipe Scolari, nas últimas fases de qualificação de Portugal.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.