Porto da Cruz vive situação de "catástrofe" devido a fortes chuvas

Porto da Cruz vive situação de "catástrofe" devido a fortes chuvas

 

Lusa/AO Online   Nacional   29 de Nov de 2013, 07:46

A freguesia do Porto da Cruz, no concelho de Machico, vive uma "situação de catástrofe completa" devido à forte precipitação que caiu nesta noite naquela zona da Madeira, disse o presidente da câmara à agência Lusa.

 

“É uma situação de catástrofe completa e o panorama é mais sério com o clarear do dia”, declarou Ricardo Franco, adiantando que a intensa precipitação provocou “o transbordo de vários ribeiros e ribeiras, várias derrocadas que bloquearam o trânsito nas vias regionais e municipais, habitações alagadas e populações isoladas, além de pessoas que ficaram ligeiramente feridas porque foram arrastadas e danos em outras casas”.

O autarca mencionou o caso de uma habitação em que a família teve de ser retirada. “Pelo menos três pessoas ficaram ligeiramente feridas porque foram arrastadas devido a esta ocorrência”, referiu.

Ricardo Franco apontou ainda a situação de “uma oficina onde todo o material que se encontrava no andar térreo desapareceu”, inclusive viaturas, bem como quedas de muralhas e muros.

Ao nível da circulação naquela freguesia do norte da Madeira, o responsável referiu que a Via Expresso, principal acesso à localidade, ficou bloqueada devido a uma grande derrocada e que as autoridades demoraram “três horas e meia a abrir um corredor de segurança” e das dificuldades em diversas vias municipais.

“Esta é uma situação extraordinária em termos de chuva, havia o alerta amarelo, e estamos a acudir à situação com máquinas privadas, porque a câmara não dispõe deste tipo de material”, realçou o autarca de Machico.

O responsável informou que com a luz do dia será efetuado “um levantamento dos prejuízos para elaborar um relatório para apresentar ao Governo Regional e a quem de direito para ajudarem”.

A região montanhosa da ilha da Madeira está hoje, até às 17:59, sob aviso laranja, o segundo mais grave da escala de quatro níveis, devido às previsões de chuva e trovoada fortes, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O instituto já tinha colocado na quinta-feira o arquipélago da Madeira sob aviso amarelo – o terceiro mais grave - e mantém este aviso hoje a partir das 18:00 até às 05:59 de sábado.

O aviso amarelo deve-se às condições de chuva e aguaceiros por vezes fortes, acompanhados de trovoada, que se prevê para as duas ilhas daquela região.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.