Açoriano Oriental
"Podíamos ter discutido a Liga Europa"

Em entrevista ao Açoriano Oriental, a publicar este domingo, o treinador João Henriques faz o balanço dos dois anos que esteve à frente do Santa Clara. Leia aqui um resumo da entrevista que sairá amanhã no jornal

"Podíamos ter discutido a Liga Europa"

Autor: Nuno Martins Neves

Qual foi o atleta que mais lhe encheu as medidas?
Acima de tudo, o que foi mais valorizado foi o clube e o grupo. Conseguimos individualmente potenciar vários ativos, porque a equipa valeu sempre por um todo, foi sempre muito compacto. Houve jogadores que inicialmente nos surpreenderam porque vinham de um campeonato inferior, como o Zaidu, por exemplo, e o salto é enorme e a adaptação rápida que teve permitiu isso. Mas não tanto por aquilo que possamos dizer que foi o jogador com mais qualidade, ou com mais recursos. Não: tivemos vários durante estes dois anos. São jogadores de qualidade, muita qualidade, que estavam à espera de encontrar um contexto que fizesse sobressair as suas reais capacidades, para serem depois cobiçados por outros clubes.

Parte com saudade dos Açores?
Obviamente que, passados dois anos num sítio onde fomos bem recebidos, onde nos sentimos bem, onde tivemos sucesso, onde criamos laços de amizade para além das questões profissionais, ficamos sempre com aquele processo nostálgico de olhar para trás. Por um lado, o nosso processo foi cumprido, fizemos as coisas bem feitas para aquilo que nos foi proposto, mas deixa sempre saudade. É uma Região fantástica, é uma ilha extraordinária, em todos os aspectos. As pessoas receberam-nos bem e nós queremos obviamente ficar bem com toda a gente e deixar as portas abertas para falar com os amigos e rever as pessoas que fizeram tudo connosco para que tivéssemos sucesso.

E faltou alguma conquista no percurso profissional?
É como disse: ficou-nos a sensação que podíamos ter mais pontos para discutir com as equipas da Liga Europa. Aqueles 6, 7 pontos que foram mal perdidos - algo que acontece com todas as equipas em todas as épocas - para ainda surpreender mais. Agora de resto, proporcionamos vendas ao clube, potenciamos jogadores, batemos todos os recordes, possíveis e imaginários em duas épocas, pelo que o Santa Clara, pela primeira vez, irá estar pela 3.ª época consecutiva na I Liga. As coisas foram todas muito boas, faltou as pessoas responsáveis pelas infraestruturas percebem que as minhas críticas eram construtivas para que dessem mais e melhores condições ao Santa Clara, porque o clube merece. E entenderam isso como críticas destrutivas e ofensivas, e não foi essa a minha ideia. Se as pessoas pensaram dessa forma, peço desculpa por isso. É a única situação que eu não gostava de deixar nenhum atrito, porque é uma chamada de atenção. O Santa Clara precisa da ajuda enquanto ainda não conseguir ser autónomo nesse âmbito.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.