Açoriano Oriental
Plataforma anti-touradas contra espectáculo de hoje no Campo Pequeno

A Plataforma Basta de Touradas criticou a realização de um festival tauromáquico, marcado para este sábado no Campo Pequeno, em Lisboa, acusando o promotor de ilegalidade.

article.title

Foto: EPA/JAVIER ETXEZARRETA
Autor: AO Online/ Lusa

O Campo Pequeno acolhe hoje o Festival Taurino, para celebrar o Dia da Tauromaquia e "a cultura tauromáquica", e o evento é promovido pela SRUCP - Sociedade de Renovação Urbana Campo Pequeno, com organização da ProToiro - Federação Portuguesa de Tauromaquia.

Em comunicado divulgado hoje, a Plataforma Basta de Touradas afirma que esta sociedade, "em nebuloso processo de insolvência e que tem por finalidade social 'a compra e venda de bens imobiliários'", não pode promover espectáculos tauromáquicos.

A plataforma lamenta que "as autoridades continuem a fechar os olhos à forma ilegal como estão a ser promovidos espectáculos tauromáquicos na praça de touros do Campo Pequeno" e que não façam "cumprir a legislação cultural e fiscal".

Segundo esta plataforma anti-touradas, a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) tem conhecimento da situação, mas "continua sem esclarecer" se a SRUCP tem "competência legal para promover espetáculos tauromáquicos".

O evento tauromáquico de hoje "é uma tentativa desesperada de impedir a reconversão do edifício do Campo Pequeno e de condicionar o seu futuro", afirma a plataforma.

Na página oficial, a Protoiro refere que o objetivo do evento de hoje "é celebrar a cultura tauromáquica e a liberdade cultural", com iniciativas "para toda a família, aficionadas ou não".

O programa inclui os "cavaleiros António Telles, Ana Batista, Francisco Palha e Luís Rouxinol Jr. e os matadores de toiros Nuno Casquinha e João Silva 'Juanito'. Os Forcados serão os Amadores de Santarém e de Lisboa. A cavalo, serão lidados quatro toiros Ribeiro Telles e, a pé, dois novilhos de Calejo Pires".

A realização do espectáculo tem sido criticada nos últimos dias por causa da oferta de bilhetes a menores de 12 anos, nomeadamente pelos partidos Bloco de Esquerda e Pessoas-Animais-Natureza e pela organização Animal, que enviou uma queixa ao Governo e à IGAC.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da Pró-Toiro, Hélder Milheiro, explicou que a iniciativa se encontra dentro da lei, já que os bilhetes são oferecidos aos menores de 12 anos quando acompanhados de um adulto.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.