Pilotos reúnem para discutir "repreensão" da administração

Pilotos reúnem para discutir "repreensão" da administração

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Dez de 2009, 08:24

Os pilotos da SATA vão reunir-se em assembleia no início de Janeiro para discutir a carta que a administração da empresa colocou num portal público a repreendê-los por "perturbarem" a actividade da Direcção de Operações de Voo da companhia.

A nota do conselho de administração da SATA foi colocada na semana passada na parte pública do portal da DOV - Direcção de Operações de Vôo e posteriormente retirada, mas nela a administração considerava "incompreensíveis e lamentáveis algumas atitudes recentes que, intencionalmente ou não, introduzem factores de perturbação na actividade da DOV".

Entre os reparos aos pilotos contava-se "a utilização do Portal DOV para comentários depreciativos ou pretensamente irónicos, assim como outro tipo de acções" que a administração considerou "completamente inaceitáveis, não só por representarem desconsideração às pessoas envolvidas", por "degradarem o bom relacionamento e espírito de equipa" e por "colocarem em causa a autoridade das decisões da Administração".

A mesma nota da administração começa mesmo por referir que, "no uso dos poderes que lhe estão legitimamente conferidos, nomeou a equipa da Direcção de Operações de Voo, que apoia".

A Direcção de Operações de Voo da SATA Internacional foi remodelada em meados de Outubro, quando quase todos os elementos que a compunham abandonaram funções, à excepção do próprio Director de Operações de Voo.

Apesar de terem alegado motivos diversos, saíram ao mesmo tempo o Chefe de Pilotos, os Chefes de Frota dos A-320 e dos A-310, cinco Line Training Captains (LTC, pilotos formadores em voo), bem como a chefe de pessoal de cabina.

O clima de tensão entre os pilotos da SATA e a administração atingiu um ponto alto na sequência da aterragem violenta do Airbus A-320 "Diáspora", a 04 de Agosto, no Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada. O avião seguia com 166 passageiros e sete tripulantes a bordo e foi posteriormente objecto de uma troca nos trens de aterragem.

Fontes na companhia contactadas pela Lusa consideram que a Direcção de Operações de Voo não terá feito tudo ao seu alcance para "proteger" o piloto responsável pela manobra.

A nota da administração no portal da DOV terá constituído a "gota de água" que levou os pilotos da SATA a pedir ao Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) que agendasse a Assembleia de Empresa.

Na agenda da assembleia estará a "análise, discussão e medidas a tomar" quanto à nota do conselho de administração.

O SPAC e a SATA confirmaram à Lusa a realização da assembleia em inícios de Janeiro.

Fonte oficial da SATA escusou-se, no entanto, a comentar o tema da assembleia, por considerar que se trata de "um memorando interno" que "infelizmente foi tornado público".

Quanto à demissão em simultâneo de quase uma dezena de elementos da anterior Direcção de Operações de Voo, a mesma fonte oficial da SATA afirmou que a companhia não relaciona esse facto com qualquer contestação ao Director de Operações de Voo, sublinhando que os demissionários pediram para sair "invocando motivos diversos e de carácter pessoal".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.