Pescas

Pescadores exigem apoios do Governo

Carregando o video...

 

Luís Pedro Silva   Regional   29 de Out de 2009, 15:14

Um grupo de cerca de trinta pescadores e armadores de Rabo de Peixe deslocou-se esta quinta-feira para a sede da Associação Porto de Abrigo com o objectivo de promover uma reunião de emergência com o subsecretário regional das Pescas, Marcelo Pamplona, para discutir as novas regras que fixam novos tamanhos e pesos mínimos para a captura de  goraz, congro e boca negra.
Liberato Fernandes, presidente da Federação de Pescas dos Açores, sublinhou que “existe um grande sentimento de revolta dos pescadores, porque as medidas  restritivas estão a afectar os rendimentos dos pescadores”, acrescentando que os preços praticados em lota “são reduzidos”.

O representante dos pescadores sugeriu que “o Governo compensasse financeiramente a perda de rendimentos dos pescadores. Isto é um problema que afecta todos os pescadores dos Açores”, afirma Liberato Fernandes, que considera o protesto efectuado pelos pescadores como resultado de “estarem com a corda ao pescoço”.

Os pescadores informaram que a situação actual é insustentável, apontando como exemplo a retribuição de sete euros em cada quatro dias de pesca.

“A actual situação não dá para pagar o isco e o gasóleo. O secretário que vá para o mar ver as situações que estamos a passar. O dinheiro que ganhamos não dá para nada”, frisa um dos pescadores de Rabo de Peixe.

Os pescadores consideram que o Governo Regional deve apoiar “as pessoas que trabalham em vez das pessoas que vivem do Rendimento Social de Inserção.
“Os apoios devem ser para as pessoas que merecem”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.