Política

PCP contra posição do executivo sobre Porto de Abrigo

PCP contra posição do executivo sobre Porto de Abrigo

 

Lusa/AO online   Regional   17 de Jun de 2010, 12:04

O PCP/Açores considerou esta quinta-feira “inadmissível” a posição do executivo regional perante a difícil situação financeira da Porto de Abrigo, considerando que o governo “tem o dever de intervir” para resolver os problemas desta cooperativa do sector das pescas.
“Ao governo cabe apoiar e estimular, embora de forma responsabilizadora e de exigência de rigor e transparência na gestão de instituições que usufruem de verbas do Estado”, refere o PCP/açores numa nota divulgada esta quinta-feira .

Os comunistas açorianos defendem ainda que o executivo regional socialista deve esclarecer “a situação de conflito e de interferência” na actividade da cooperativa, salientando que estão em causa mais de três dezenas de postos de trabalho.

“O governo regional e a subsecretaria das Pescas não querendo renegociar a dívida da Porto de Abrigo mostra, além de falta de vontade na resolução do problema, objectivos até agora inconfessados que indiciam querer deixar cair uma importante estrutura associativa dos pescadores de S. Miguel”, defende o PCP/Açores.

O presidente da Porto de Abrigo, Liberato Fernandes, iniciou a 4 de Junho um protesto nas instalações da cooperativa para forçar o governo regional a negociar uma solução para a difícil situação financeira da cooperativa.

O protesto já foi desvalorizado pelo executivo açoriano, para quem este “acto de ostentação mediática não influirá em qualquer decisão governamental”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.