Pais de Angélico intentam ação judicial a dono de stand e exigem 159 mil euros

Pais de Angélico intentam ação judicial a dono de stand e exigem 159 mil euros

 

Lusa/AO online   Nacional   22 de Out de 2012, 17:59

Os pais do músico Angélico, que morreu em 2011 na sequência de um acidente de viação na A1, exigem 159 mil euros ao empresário que, alegadamente, detinha a propriedade do veículo, disse fonte judicial.

Os pais de Angélico insistem na teoria de que Augusto Fernandes era proprietário do BMW 635, automóvel conduzido pelo cantor na noite do acidente, em junho de 2011.

Os progenitores deram entrada com uma queixa cível no Tribunal de Vila do Conde, exigindo 159 mil euros ao empresário.

Na queixa, os pais do cantor sustentam que Augusto Fernandes terá “falsificado o contrato de compra e venda” do BMW e exigem a devolução do montante que corresponde a um Ferrari 131 e a um Audi A4, propriedade de Angélico e que teriam sido deixados naquele stand para troca, explica a mesma fonte.

Depois do acidente, a mãe de Angélico Vieira já havia confirmado às autoridades que estes dois automóveis seriam de Angélico e que "foram registados a favor desta empresa", após a morte do ator e cantor.

Paralelamente, a família do também ator pretende 24.500 euros, referentes à venda de um outro automóvel, da marca Porsche Cayenne, que terá sido negociado por Angélico Vieira, algum tempo antes de morrer, mas cujo montante “nunca” terá sido entregue à família.

Os pais de Angélico persistem na teoria que o filho “nunca assinou” qualquer contrato para comprar o BMW e que, após a tragédia, Augusto Fernandes terá mesmo dito às autoridades policiais que era o “proprietário” da viatura.

O cantor e ator Angélico Vieira morreu no Hospital de Santo António, no Porto, dias após o acidente que ocorreu na A1, quilómetro 258,909, sentido norte-sul, pelas 03:15 de 25 de junho, provocando também a morte do passageiro Hélio Filipe e ferimentos nas ocupantes Armanda Leite e Hugo Pinto.

As autoridades concluíram que a viatura se despistou na sequência do rebentamento de um pneu, na altura em que o veículo seguia a uma velocidade entre 206,81 e 237,30 quilómetros horários e realçam que Angélico, assim como o outro passageiro da frente, seguiam com cinto de segurança.

Sandro Milton Angélico Vieira, 28 anos, trabalhava como modelo, estudava gestão de empresas e era também ator.

Ganhou notoriedade como vocalista da "boys band" D'Zrt, que, após três anos de sucessos, foi extinta.

A Lusa tentou contactar Augusto Fernandes, mas o empresário não esteve contactável.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.